VEJA A ENTREVISTA NO PROGRAMA PLANTÃO POLICIAL DESTA TERÇA (11) https://www.youtube.com/watch?v=iVhI_FqzYe0&feature=youtu.be   ATUALIZAÇÃO: Após a divulgação do caso de Celifette, um empresário de Guaramirim realizou a primeira doação, dando a ele metade do valor necessário para a viagem. Agora o empenho continua forte para que o restante do dinheiro seja conseguido.  Os Bombeiros Voluntários de Guaramirim se uniram a favor de uma causa nobre. Não bastasse a ajuda prestada voluntariamente 365 dias por ano e 24 horas por dia, desta vez, a equipe voltou os esforços para ajudar o colega de farda, o bombeiro haitiano Celifette Elucien, de 39 anos, a trazer os filhos para o Brasil. Celifette veio para o país em setembro de 2013, após o grande terremoto que devastou o Haiti. O objetivo do contabilista formado e professor de espanhol era conseguir dinheiro para auxiliar a família que permanecia por lá, precisando de ajuda. Falando também português, inglês, francês e crioulo, assim que chegou à região começou a correr atrás de trabalho, mas não conseguiu oportunidade na área em que atuava. Atualmente ele é operador de forno em uma empresa de vidros. Diante das despesas, o dinheiro para ajudar a família não foi suficiente. No final do ano passado, a esposa conseguiu recursos e veio para o Brasil, mas por falta de condições o filho de quatro e outro de 14 anos de idade, que ele chama de “seus grandes amores”, ficaram no Haiti sob os cuidados da tia. A distância foi algo que sempre incomodou Celiffet, que agora tem, além da saudade, um motivo a mais para trazer seus filhos. A passagem do furacão Matthew destruiu boa parte do país, que havia recentemente começado a se reerguer, espalhando sérias doenças e deixando a população ainda mais vulnerável, o que preocupa o bombeiro. Comovido com essa situação, o amigo de plantão e também bombeiro há 13 anos, Roberto Carlos Silva, 50 anos, resolveu ajudar. Postou uma foto dos dois e um texto em sua página pessoal no Facebook pedindo ajuda. A imagem foi amplamente compartilhada. Silva diz que agiu pensando na família. “Sei o quanto ele está sofrendo, percebo em seu semblante. Sou pai e poderia ser eu buscando ajuda para ver meus filhos. Espero que consigamos” afirmou. Os demais bombeiros também estão ajudando com os compartilhamentos. “O valor atual da passagem do Haiti para o Brasil para as duas crianças é de cerca de R$ 4.990. Se conseguirmos isso até janeiro, já temos uma maior de idade que virá junto para trazer as crianças para perto da família” relatou Roberto. O comandante da unidade, Maicon Ewald, destaca que Celiffet é um membro muito dedicado da corporação e merece o apoio. “Ele é humilde, dedicado, um ótimo bombeiro. Não tem medo de aprender. Ficamos muito felizes com a presença dele aqui em nossa corporação” afirmou. Guaramirim é a primeira corporação do Estado a ter bombeiros haitianos. São dois no total. Celiffet se diz confiante com a ação dos colegas. “Eu gosto de ser bombeiro, gosto de ajudar, isso já está no meu sangue. Ajudei no terremoto também. Sozinho sei que não vou conseguir, mas com apoio dos bombeiros, amigos, conhecidos e até desconhecidos, posso ver meu sonho se tornar realidade” afirmou.
  Quem se interessar em ajudar, pode passar diretamente na sede dos Bombeiros de Guaramirim e procurar pelo Roberto ou pela Marílis. Também é possível fazer um depósito no Banco do Brasil, na conta corrente 24.624-7, agência 2095-8, o titular é Celifette Elucien.