Os bombeiros voluntários de Joinville participam neste domingo (8), às 9h30, de um culto em memória do ex-comandante e comandante de honra Henry Schmalz, na Igreja da Paz.

Schmalz morreu no dia 28 de junho, em Curitiba (PR), aos 94 anos, deixando um legado de conquistas para a centenária instituição que tanto admirava.

O culto será celebrado pelo pastor Cléo Martin e terá participação especial da corporação. Após a leitura da biografia do ex-comandante e comandante de honra, o Grupo de Câmara da Banda dos Bombeiros vai executar a Marcha, de Händel.

Comandante Henry Schmalz entrega medalha a Rudolf Schubert por 35 anos de serviço como voluntário, em 1965 | Foto Acervo Museu Nacional dos Bombeiros

Sobre Shmalz

Bisneto do superintendente municipal João Paulo Schmalz, que em 1895 reconheceu e oficializou o Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville, Henry Schmaltz era filho de bombeiro e teve sua vida ligada à corporação.

Em 1⁰ de novembro de 1944, prestes a completar 20 anos, foi admitido no Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville. Ficou sob o comando dos senhores Eugen Lepper, Albert Leppper e Guilherme Metzer.

Assumiu o comando da Corporação em 22 de agosto de 1962 substituindo o comandante Guilherme Metzer. Sob seu comando o Corpo de Bombeiros passou por grandes transformações, investindo na qualificação técnica dos bombeiros e equipando a instituição com materiais modernos.

Ao assumir o comando, Henry Schmalz esteve sob a presidência de Wolfgang Voigt, diretor da Fundição Tupy (1962-1966); Evaldo Eicholz (1966-1970); Ubirajara Dippold (1970-1975), este último também funcionário da Tupy.

Comandou o Corpo de Bombeiros de 22 de agosto de 1962 até 11 de agosto de 1971. Em sua gestão foi implantado o plantão permanente dos bombeiros. Sua saída se deu em virtude de compromissos de trabalho – ele era comandante voluntário que seguia em paralelo a uma carreira profissional.

Henry Schmaltz era técnico mecânico e eletricista e dividiu sua vida profissional entre empresas como a Tupy, Hansen, Arp, além de ter sido instrutor do Senai e professor da Escola Técnica Tupy.

Mesmo não estando no comando da instituição, Henry Schmaltz se notabilizou pelo intenso trabalho de “conselheiro dos bombeiros” seja nas questões referentes à gestão da instituição, seja na parte operacional.

Aos 88 anos, em 2012, Henry foi designado comandante de honra do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville e foi um grande incentivador do modelo voluntário.

*Com informações da assessoria de comunicação dos Bombeiros Voluntários de Joinville.