Foi divulgado pela Polícia Militar de São Paulo uma gravação de uma moradora de Andradina (SP), que ligou para o 190 para pedir uma pizza. Na verdade, a mulher, de 54 anos, estava sendo ameaçada pelo companheiro e teve a ideia de disfarçar o pedido de socorro.

O fato aconteceu na noite de terça-feira (25). Na ligação ao 190, o atendente percebeu rapidamente que o assunto era sério e não se tratava de um trote, mas de um pedido de socorro e encaminhou uma equipe ao local.

Conforme reportagem do UOL, em depoimento, ela alegou que o companheiro passou mais de 20 anos preso e que, desde que retornou para a casa, a vinha agredindo verbalmente, com xingamentos e ofensas. Além disso, a mulher declarou que recebeu ameaças de morte mais cedo naquele dia e que o marido disse que, se não conseguisse matá-la, mataria os filhos dela.

A ameaça ocorreu, segundo a vítima, porque o suspeito chegou em casa de posse de uma motocicleta e, como ele não tem emprego, ela estranhou e questionou como ele teria adquirido o veículo. Foi neste momento que o marido passou a ameaçá-la.

Quando os PM chegaram no local, encontraram o suspeito na frente da casa, mas ele fugiu quando ele viu a viatura. Buscas foram feitas pelo bairro, mas o homem não foi encontrado. A moto citada pela vítima foi encontrada na casa e como ela bem estranhou, realmente havia sido furtada.

A ocorrência foi encaminhada ao plantão policial e apresentada ao delegado plantonista, sendo registrada como ameaça, violência doméstica, localização e apreensão do veículo.

Confira a transcrição da ligação:

Atendente: “Polícia Militar, emergência.”
Vítima: “Boa noite, tem como vocês entregarem uma pizza, fazendo o favor?”
Atendente: “A senhora está ligando para a Polícia Militar”
Vítima: “Eu sei. Andradina.”
Atendente: “Qual o seu nome?”
Vítima: ."Não"
Atendente: “Tem alguém armado aí?”
Vítima: “Mais ou menos. Me traz uma pizza de...”
Atendente: “Você precisa de socorro médico ou não?”
Vítima: “Não. Me traz uma pizza de....peperoni”
Atendente: “Ok, foi cadastrada a ocorrência.”
Vítima: “Tá bom. Obrigada”

 

Confira o áudio da chamada:

Ainda segundo a reportagem do UOL, a vítima disse à polícia que pediu autorização do suposto agressor para comprar a pizza e, no momento de fazer o pedido, discou 190 e torceu para que o policial compreendesse que tratava-se de um pedido de socorro. Ao UOL, o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) explicou que o caso foi recebido pelo Soldado PM Cássio Júnior dos Santos e que, somente foi possível entender o pedido de socorro da mulher porque ele estava treinado para casos assim.

"O Copom faz treinamentos periódicos, no mínimo semestrais, e utiliza exemplos do que ocorre em outros locais para orientação do efetivo", explicou o Comando em nota. "Houve uma ocorrência em 2019 que aconteceu idêntico nos EUA e serviu de base para o treinamento".