De acordo com investigação da Polícia Civil, o assalto à agência do Branco Bradesco, em Apiúna, ocorrido em dezembro de 2019, foi todo arquitetado na Penitenciária Industrial de Chapecó, no Oeste catarinense. A operação nomeada "Saque-Recusado", realizada nesta quarta-feira (29), nas cidades de Apiúna, Indaial, Blumenau e Chapecó, apreendeu celulares nas celas de líderes de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

Em Chapecó, além de um telefone celular utilizado para planejar o roubo, policiais encontraram carregadores artesanais e cartas relacionadas ao grupo criminoso. Já nas cidades de Indaial, Apiúna e Blumenau, também foram cumpridas buscas. Um homem acabou preso pelo crime de posse ilegal de armas de fogo.

Foto Divulgação/Polícia Civil

Ele é pai de um dos investigados de participação no assalto. Houve ainda a apreensão de diversos instrumentos usados para a fabricação de armas de fogo. Os objetos foram localizados em um sítio em Vargem Grande, que era de propriedade de um dos assaltantes, detido desde 18 de dezembro.

Foto Divulgação/Polícia Civil

Segundo a Polícia Civil, as investigações sobre o assalto em Apiúna foram finalizadas, resultando na identificação dos nove autores, dos quais sete estão presos. Um morreu após confronto com a polícia e o outro segue foragido.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul