Uma tentativa de homicídio, ocorrida em novembro de 2000, teve o seu desfecho na tarde da última terça-feira (26), quase 20 anos depois.

 

 

O réu, um homem de 70 anos, foi condenado a 12 anos de reclusão, em regime fechado, por ter espancado violentamente a ex-companheira. O crime foi qualificado por motivo torpe e meio que dificultou a defesa da vítima.

Processo mais antigo

Este era o processo mais antigo em tramitação na Vara do Tribunal do Júri de Joinville e levou quase duas décadas para ser julgado porque o réu esteve foragido por longo tempo e não era encontrado para responder às acusações que lhe eram imputadas.

Segundo denúncia do Ministério Público, na data do crime, o homem procurou a vítima com a desculpa de que precisava tomar uma injeção e que ela deveria aplicá-la. Com receio de que a negativa pudesse resultar em agressividade, ela concordou.

Na sequência, o réu tentou levá-la para a cama e, com a negativa, passou a agredi-la com pauladas na cabeça e no pulso.

Irmão impediu o assassinato

O assassinato só não se consumou porque um irmão da vítima chegou ao local, e o agressor fugiu. Os golpes, no entanto, foram tão fortes que a mulher, à época com 59 anos, teve a perda do movimento de uma das mãos.

Conforme os autos, o casal estava junto havia 24 anos, mas, devido a constantes ameaças e agressões, a mulher não mais queria ficar com o homem.

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Telegram