A Polícia Civil cumpriu mandado de prisão temporária contra Dener Inocêncio no dia 2 de março, em Imbituba. Ele é acusado de assassinado de Moises Ribeiro. A vítima estava desaparecida desde 2 de setembro do ano passado e foi encontrada pela polícia na última sexta-feira (9). De acordo com o Delegado Regional de Laguna, Raphael Giordani, o suspeito foi identificado por meio de uma intensa investigação que incluiu quebra de sigilo telefônico, interceptação telefônica, quebra de sigilo bancário, quebra de sigilo telemático, busca e apreensão e acesso ao conteúdo dos celulares apreendidos. Todas as medidas foram devidamente autorizadas pela Justiça. Logo após a prisão, ao ser confrontado com as provas existentes, notadamente com o conteúdo das interceptações, Dener (em seu terceiro interrogatório) confessou a autoria do homicídio. Segundo Dener, ele teria acertado dois golpes na vitima e, em seguida, teria jogado Ribeiro (que estava desacordado) no interior do Rio Duna. “Dando prosseguimento às investigações, apurou-se que a versão de Dener não correspondia com a realidade”, informou o delegado. Novamente interrogado, o investigado mudou a versão, salientando que havia tirado a vida de Moises com um tiro na nuca e, posteriormente, jogado o corpo no fogo. Ao explicar as circunstâncias do crime o investigado entrou em contradição novamente. Apenas no quinto depoimento, Dener confessou que enterrou o corpo em sua propriedade localizada no município de São Martinho. Na manhã de sexta, equipes da Policia Civil, e do Instituto Geral de Perícias foram ao local apontado por Dener e localizou o corpo. “Assim que localizamos o corpo, foi acionado o helicóptero do Serviço Aeropolicial, que contribuiu para a retirada do corpo do local. Agradeço a equipe de investigação de Imbituba, aos tripulantes do SAER, ao IML, ao IGP e a todos que contribuíram para a resolução do caso”, finaliza o delegado Giordani.