João Paulo Mello foi morto com pauladas na cabeça Foto: Divulgação
João Paulo Mello foi morto com pauladas na cabeça Foto: Divulgação

No último final de semana, mais um homicídio foi registrado em Jaraguá do Sul.  João Paulo Mello, 29 anos, foi morto com golpes de madeira na cabeça até morrer, e o corpo foi jogado em um barranco no Morro do Boa Vista em Jaraguá do Sul.

Graças ao auxílio da comunidade, rapidamente os autores de 21 e 22 anos foram presos pela PM e confessaram o crime, alegando um rixa antiga como a motivação.

Teria sido o desfecho perfeito perante os olhos da comunidade, não fosse a finalização do caso! Após serem presos, os indivíduos foram levados para a delegacia de polícia, onde foram ouvidos pela delegada Claudia Gonzaga.

Para a delegada, os irmãos, autores do crime, confessaram o caso e contaram que juntos, deram as pauladas e levaram o corpo até uma região de mata onde ele foi dispensado.

&feature=youtu.be

Eles contaram ainda que o pedaço de pau já estava pronto a tempos, com uma corrente enrolada, e que limparam o sangue no asfalto com uma mistura de água, detergente e bicarbonato de sódio e que na sequencia o pedaço de madeira foi queimado, bem como as roupas sujas de sangue.

 

 

Com o depoimento em mãos, a delegada pediu a prisão preventiva de ambos, dado o homicídio, a tentativa de fuga que estava em curso, a destruição de provas e a ocultação de cadáver.

Por sua vez, o juiz plantonista, Dr Fernando Gerber, não acatou o pedido da delegada, fazendo com que ambos acabassem soltos.

No despacho, o juiz alegou que não se tratava de um pedido de urgência para ser analisado no regime de plantão, e que ainda que fosse urgente, isso não ficou caracterizado suficientemente no pedido da delegada, reencaminhando o pedido para um juiz criminal nesta segunda.

O promotor de justiça Márcio Cota, já se movimenta para fazer um novo pedido ainda nesta segunda para outro juiz.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?