Uma jovem acolhida em um abrigo na cidade de Piçarras atingiu a maioridade este mês e já tem planos para o futuro: ela deixará a casa onde viveu nos últimos anos e e iniciará, ainda neste semestre, o curso de Direito como bolsista em uma instituição de ensino superior da região.

Durante todo o período em que esteve na casa, ela passou por dois estágios para uma possível adoção, mas não obteve êxito em nenhum deles.

O fato não lhe trouxe abatimento, mas sim disposição para focar na preparação para o ingresso no mercado de trabalho, com experiências nos programas Menor Aprendiz e Novos Caminhos.

Essa dedicação chamou a atenção da equipe técnica que acompanhou o caso. "Ela passou a se preocupar com sua formação, para o momento do pós-acolhimento, dentro dessa consciência buscou agarrar todas as oportunidades que viessem a possibilitar seu crescimento e passou a conjecturar seu futuro", anotaram as técnicas em parecer.

A menina, aliás, sempre apresentou boas notas escolares, teve atuação exemplar no curso profissionalizante que realizou, estudou inglês, violão e frequentou a igreja de sua preferência, atuante no grupo de jovens.

Com o apoio e a orientação da equipe técnica da instituição de acolhimento municipal, sempre se mostrou muito responsável e madura, com o desenvolvimento e fortalecimento de vínculos sociais e comunitários.

No âmbito pessoal foi muito bem recebida pela família de seu noivo e estabeleceu fortes laços afetivos com este núcleo familiar, com quem passou a morar, com planos de vida em comum.

Ao decidir cursar Ciências Jurídicas e Sociais, a então adolescente disse que "esse curso dará oportunidade de retribuir para a sociedade o que fizeram por mim, minha vida sempre esteve envolvida com o Direito".