Por Rosana Ritta "Não acredito que deixo nóis, minha gata assim que nois se chamava, temos muitos segredos juntas muitas brincadeiras muitas alegrias risadas ... vc tinha sido a amiga que pedi a deus lembra que eu sempre te flava isso né ai ele me mando vc e vc me apresento a alice , meu pai tinha morrido e eu n queria mais sair nem viver ai vc apareceu e me mostro que a vida continua que apesar de tudo ainda podiamos sorrir, me conto sua historia de vida nos indentificamos lembra né, você era inocente nâo tinha maldade com nada nem com ninguem era mto carinhosa demais ... esperta parceira, me ensino mtas coisas boas, me mostro dois lados da vida, e sempre tava do meu lado, pra esscuta minhas bobagens pra aguenta meus xiliques de loca ☹️? foi parceira em todas as horas, meus deus n acredito ainda amiga, mais que nem vc dizia pra mim : Mana seu pai e o meu ta no lugar bom l.. sempre me consolando dizendo que ele tava olhando po nois e agora meu amor vc ta ai com eles com meu pai e com o seu ta num lugar melhor sem dor sem tristeza e agr vc tbm vai olhar por mim que nem dizia que meu pai tava olhando e encontro o seu ne meu amor agr os anjos do céu estao mto felizes rindos e cantando recebendo mais uma anjinha carinhosa, companheira para todas as horas .... Te amo amiga demais vai sempre ser minha melhor amiga pode ter certeza disso ... nunca mais vai existi outra mana .... minha gata parc"... As várias homenagens postadas com declarações de amizade eterna por Amanda Roeper à amiga Letícia Borges Vargas são seguidas de outras centenas semelhantes feitas por amigos que, chocados, receberam nesta quinta-feira (4) a notícia de que a garota foi assassinada com requintes de crueldade. "Ela não era minha amiga, era uma irmã. Nos conhecíamos há cerca de um ano e meio, mas parece que foi a vida toda", desabafou Amanda, que está grávida e recentemente havia convidado Letícia para ser madrinha de seu bebê.
As amigas Amanda, Aline e Letícia: agora restam somente dor e dúvidas | Foto Facebook da Amanda
As amigas Amanda, Aline e Letícia: agora, para as duas primeiras, restam somente dor e dúvidas | Foto Facebook da Amanda
O corpo de Letícia Vargas Borges, 17 anos, foi sepultado na tarde desta quinta-feira, no Cemitério Municipal de Guaramirim, município onde ela morava com a avó.  Seu corpo foi encontrado por um pescador na manhã de terça-feira (2), no final da rua Grécia, próximo do Loteamento do Mazinho, no bairro Ubatuba, em São Francisco do Sul. A polícia ainda não tem pistas do que possa ter ocorrido com Letícia, descrita pelos inúmeros amigos como uma menina alegre, de alto astral, vaidosa, festeira e "um anjo sem maldade, que sorria sempre". Segundo a PM, o cenário indica que ela foi  vítima de um emboscada. Estava com os braços voltados para trás, com os pés e mãos amarrados e um pedaço de tecido envolvendo o pescoço. Possivelmente, ainda segundo a PM, tenha sido espancada e morta em outro local, depois levada para ser deixada naquela área. Os bombeiros confirmaram que ela tinha várias lesões pelo corpo. Segundo uma amiga, Letícia era nascida em Jaraguá do Sul, estudou na Escola Cristina Marcatto, mas quando sua mãe resolveu morar em Barra Velha, achou que lá não seria um bom local para ela e mandou que ela fosse morar com a avó em Guaramirim. Letícia sofria muito pela morte do pai e revelou à amiga que não se dava bem com o padrasto. Leia mais: Adolescente assassinada será enterrada em Guaramirim   Más companhias Em Guaramirim, teria se envolvido com más companhias. Recentemente, ela revelou a outra amiga que estava com problemas e precisava se esconder com outra colega, mas não contava para ninguém do que se tratava. Há suspeitas de que ela tenha sido vítima de uma facção criminosa. "Certamente, morreu porque sabia demais. Foi atraída para alguma emboscada", contou outra amiga, que observou que a última mensagem postada por ela no Facebook diz: "partiu São Chico", sem informar com quem estava. Os familiares, também chocados, não tem pistas sobre o que pode ter ocorrido com a adolescente. Lembranças de uma vida curta "Nunca me esquecerei das nossas corridas de bicicleta atrás do Juventus e de quando fomos de casa em casa pedindo moedas pra conseguir comprar um pode de sorvete de brigadeiro (que por sinal, era horrível). Nós aprontávamos demais na escola e jamais irei esquecer de todas as nossas loucuras, nem da sua risada que tanto me alegrava", escreveu a amiga Karine Pereira. "A razão por que a despedida nos dói tanto é que nossas almas estão ligadas. Talvez sempre tenham sido e sempre serão. Talvez nós tenhamos vivido mil vidas antes desta e, em cada uma delas, nós nos encontramos. E talvez a cada vez tenhamos sido forçados a nos separar pelos mesmos motivos. Isso significa que este adeus é ao mesmo tempo um adeus pelos últimos dez mil anos e um prelúdio do que virá", postou Max Carvalho. "Vai deixar saudades leh Altas risadas com vc Altas palhacadas espero que as pessoas que fizeram isso queimem eternamente no inferno e que a justiça seja feita Vai com Deus leh. Meus pesames a toda a família", lamentou Jhonii Sayd. "Hoje a saudade nos faz mais uma visita, mas não vem acompanhada da tristeza como protagonista. Com corações mais confortados, dedicaremos este dia para relembrar os bons momentos que foram compartilhados e como a presença de uma pessoa tão querida foi capaz de transformar tantas vidas abençoadas. #Vai #com #deus LETII ???? amamos VC e sempre iremos amar", escreveu Jheni Silva   Observação: As mensagens foram reproduzidas das redes sociais com a mesma grafia dos autores