Mesmo após a sua morte, o assassino Lázaro tem dado o que falar. Um homem, que era amigo do assassino em série, é suspeito de matar uma mulher que estava grávida e a filha de 14 anos, no Distrito Federal.

A Polícia Civil aponta Jeferson Barbosa, de 25 anos, como autor do homicídio de Shirlene Ferreira da Silva, de 38 anos, e da filha Tauane Rebeca da Silva, de 14 anos, em um córrego do Sol Nascente, em Ceilândia. A perícia confirmou que elas foram mortas com golpes de faca.

Foto: Polícia Civil

As vítimas desapareceram no dia 9 de dezembro de 2021, após saírem de casa para tomar banho no córrego.

Os corpos foram encontrados 11 dias depois, em estado avançado de decomposição, escondidos em um matagal a cerca de 500 metros da casa onde moravam.

Segundo a Polícia, o suspeito foi identificado quase dois meses depois dos crimes, após ser visto por testemunhas no local onde as vítimas estavam no momento do desaparecimento.

Foto: Arquivo pessoal

Há suspeitas de que Jeferson teria tentando estuprar a adolescente, mas a mãe não deixou. O delegado à frente do caso, Thiago Peralva, da 19ª Delegacia de Polícia, em Ceilândia, afirma que esta hipótese de uma investida sexual por parte do suspeito ainda está sendo apurada.

O laudo apontou que a gestante foi executada com 37 facadas. Um fato que chamou bastante atenção dos investigadores é que a única parte não atingida pelos golpes foi o ventre da mulher. A filha foi assassinada em seguida. O corpo da adolescente tinha marcas de estrangulamento e de facadas.

O irmão de Jeferson afirmou à Polícia Civil que acredita no envolvimento dele no crime.

"O irmão disse que o suspeito ligou chorando e pediu para a família rezar e ajudar ele, dando a entender que tem participação no crime", disse o delegado.

Segundo as investigações, Jeferson costumava andar por Ceilândia acompanhado pelo irmão e por Lázaro.

"Pessoas da localidade disseram que eles praticavam vários crimes por ali. Eles só andavam juntos", acrescentou Peralva.

Os investigadores afirmam ainda que não descartam a hipótese de que outra pessoa tenha participado do assassinato de mãe e filha no Sol Nascente. O homem segue foragido e ao que tudo indica está morando na Bahia.

"A linha de investigação trata de um homicídio, aborto [Shirlene estava grávida] e ocultação de cadáver", complementou o delegado.