Um agente penitenciário de Santa Catarina fez um pedido para auxiliar nas buscas por Lázaro Barbosa, o serial killer que esta aterrorizando Goiás e o Distrito Federal.

No ofício enviado ao Deap (Departamento de Administração Prisional) na segunda-feira (21), o servidor pede uma licença-prêmio e 15 dias para auxiliar nas buscas.

 

O policial penal afirma que, apesar do grande número de policiais empenhados na caçada, o foragido ainda não foi capturado.

O agente prisional catarinense conta que possui treinamento de selva, pois foi fuzileiro naval da Marinha, e cursos operacionais.

“Não irei utilizar arma da instituição ou qualquer equipamento que possuo acautelado. Irei utilizar apenas os conhecimentos que me foram passados pelo CFN e o Deap”, afirma o agente prisional no ofício.

A busca por Lázaro Barbosa, acusado de matar quatro pessoas da mesma família em Ceilândia (DF) começou em 9 de junho.

A operação que tenta prendê-lo envolve cerca de 300 policiais civis, militares e federais, além do auxílio de cães farejadores e aeronaves.

Ao longo dos vários dias de fuga, Barbosa passou por várias chácaras na região, fez reféns e baleou pessoas, segundo a polícia.