O BOA (Batalhão de Operações Aéreas) do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina já contabilizou mais de cinco mil atendimentos. A marca foi atingida no dia 7 de dezembro deste ano, quando uma equipe fez o transporte de uma recém-nascida, de apenas três dias de vida. A menina nasceu em Chapecó com um problema cardíaco congênito, necessitando de um procedimento cirúrgico no Hospital infantil Doutor Jeser Amarante Faria, em Joinville. O Arcanjo 4 realizou o transporte em cerca de duas horas. Caso fossem por terra, seriam necessárias pelo menos oito horas de viagem. Prestes a completar sete anos de atuação, no dia 20 de janeiro de 2017, o BOA, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, através do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), atendeu diretamente 4.449 pessoas, prestando um serviço aeromédico especializado. As aeronaves pré-configuradas levam até o local da emergência equipe médica especializada, dotada de equipamentos de última geração, sendo capaz de realizar procedimentos que só seriam realizados no hospital.
Foto: Arcanjo 1/BMSC
Foto: Arcanjo 1/BMSC
Além dos atendimentos pré-hospitalares, o BOA realiza atividades de resgate, combate a incêndios, busca e salvamento, prevenção, proteção ao meio ambiente, defesa civil, e apoio aos demais órgãos do estado, municípios e União. Atualmente, o batalhão conta com duas bases - uma em Florianópolis e uma em Blumenau - e quatro aeronaves, sendo dois helicópteros e dois aviões. Histórico do BOA O início das atividades se deu no dia 20 de janeiro de 2010 com o Arcanjo 1, um helicóptero locado, com disponibilidade de 120 horas de voo, suficientes apenas para a Operação Veraneio. O BOA foi criado através do Decreto Estadual Nº 2.966, de 2 de fevereiro de 2010. Após uma campanha junto à comunidade e autoridades, o Arcanjo 1 permaneceu em operação. Em março de 2012, o Arcanjo 1 foi substituído pelo atual, deixando de ser uma aeronave locada para ser própria do Estado. Em janeiro de 2014, iniciaram-se as operações com aviões, a partir da sessão de um avião Cessna pelo Conselho Nacional de Justiça, o Arcanjo 2. Visando a expansão das atividades para as demais regiões do Estado, em outubro de 2015 foi ativada a base de Blumenau, que passou a atender todo o Vale do Itajaí, Litoral Norte e Planalto Norte Catarinense, com o helicóptero Arcanjo 3, adquirido pela Secretaria de Estado da Saúde.
Foto: Arcanjo 2/BMSC
Foto: Arcanjo 2/BMSC
Em 2016, ao completar seis anos de atividades, o BOA recebeu a sua quarta aeronave. Outro avião apreendido pela Justiça por tráfico de drogas foi repassado para salvar vidas. O BOA possui um efetivo orgânico de 29 homens e 30 homens não orgânicos (cumprem apenas escalas de serviço operacional) entre pilotos, tripulantes operacionais e apoio em solo, distribuídos nas bases de Florianópolis e Blumenau. Do Samu, são 17 médicos e 12 enfermeiros.