Leonardo Nathan Chaves Martins é apontado pela polícia civil como autor do disparo que matou Gabriella Custódio da Silva, em 23 de julho, e teve sua prisão preventiva decretada na última sexta-feira (9).

Sua defesa fez o pedido de habeas corpus nesta segunda (12), alegando que Leonardo colabora com as investigações e pode responder pelo assassinato em liberdade.

Leonardo se entregou à delegacia de Homicídios junto de seu advogado logo após a polícia civil concluir o inquérito de que foi ele quem disparou o tiro que tirou a vida de Gabriella.

O tiro aconteceu na casa dos pais de Leonardo e acertou o peito da vítima, que foi levada pelo namorado no porta-malas do carro ao hospital Bethesda, em Pirabeiraba, mas já sem vida.

Foto Redes Sociais

O autor alega que o tiro foi acidental, e aconteceu enquanto mostrava a arma para sua namorada. O homem alega que a pistola disparou sozinha, sem acionamento de quem a manuseava.

O inquérito encaminhado ao Ministério Público aponta que o tiro foi dado em linha reta e de que a arma estava apontada para a jovem.

Segundo Leonardo, a pistola usada no crime foi jogada em um rio com a ajuda do pai. O caso gerou comoção nas redes sociais, e a polícia trabalha com suspeitas de feminicídio.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger