A 2ª Vara Criminal da comarca de Joinville converteu em preventiva a prisão em flagrante de um advogado que tentou entrar com drogas no Presídio Regional de Joinville no último domingo (25).

O juiz Luis Paulo Dal Pont Lodetti considerou os antecedentes criminais para homologar a decisão. O advogado já foi condenado por mais de 30 crimes de furto e um de formação de quadrilha.

 

 

Em janeiro, um boletim de ocorrência foi registrado contra o mesmo homem por carregar entorpecentes na Penitenciária Industrial de Joinville.

Na época, funcionários da unidade encontraram 36 buchas de substâncias análogas a maconha em um banheiro, supostamente utilizado somente pelo suspeito antes de visitar seu cliente.

"A soltura do advogado-conduzido importará sério risco à ordem pública, na medida em que as diversas ações penais em tramitação, aliadas às circunstâncias peculiares da apreensão ocorrida dentro do sistema prisional, (...) indicam propensão à recidiva delitiva e envolvimento próximo com a criminalidade organizada", cita um dos trechos do despacho.

O advogado também responde a outras cinco ações penais por dano ao patrimônio público, desacato, receptação, embriaguez ao volante, fuga de local de acidente, ameaça, resistência, desobediência e denunciação caluniosa.

Fonte: TJSC