Dois adolescentes suspeitos de envolvimento no latrocínio contra Edith Thibes Veiga, de 86 anos, foram apreendidos em Lebon Régis, no Meio-Oeste de Santa Catarina.

De acordo com a Polícia Civil, a apreensão provisória ocorreu na tarde desta quarta-feira (28).

A Polícia Civil passou a terça-feira (27) realizando a instrução dos procedimentos.

Em seguida, fez o pedido de internação provisória dos adolescentes.

O Ministério Público de Santa Catarina se manifestou favorável e a Justiça deferiu o pedido no meio da tarde de quarta.

Com a decisão, uma equipe do setor de investigações da Delegacia de Polícia da Comarca de Lebon Régis foi às ruas para tentar localizar os adolescentes.

Após uma breve diligência, os suspeitos dois foram apreendidos no bairro Santa Terezinha e levados para a delegacia.

Os adolescentes ficarão apreendidos no Casep (Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório) de Caçador e responderão por participação em ato infracional análogo ao crime de roubo seguindo de morte (latrocínio).

Roubo seguido de morte

O crime aconteceu na rua Messias Antônio de Moraes, no Centro, na noite desta segunda-feira (26).

A Polícia Militar foi chamada para atender a ocorrência por volta das 22h30.

Ao estranharem a ausência da vizinha, moradores ligaram para a Polícia Militar.

Uma guarnição foi enviada para o local e percebeu que a porta estava aberta, além de vários alimentos e objetos espalhados pelo chão.

Os policiais militares encontraram a vítima enrolada em um cobertor e com um pano branco amarrado no pescoço.

Ela tinha lesões no rosto e com um pano branco amarrado no pescoço.

A neta da idosa apontou dois adolescentes que residem próximo da casa da avó como suspeitos.

Os menores, de 14 e 17 anos, com várias passagens policiais, confessaram a participação no crime.

Eles contaram que um deles ficou no portão e o outro na rua enquanto outro homem, de 32, entrou na casa para furtar alimentos.

O autor confessou que matou a vítima com uma faca e um pano amarrado no pescoço.

A guarnição foi até a residência da ex-mulher do homem.

Ela entregou uma faca e disse que o ex-companheiro chegou de madrugada na residência.

O homicida jogou a faca pela janela do quarto, mas não disse nada sobre o crime.

O assassino não foi localizado pela Polícia Militar.