O Tribunal do Júri condenou três homens à prisão na noite de terça-feira (3), em Jaraguá do Sul. Os réus foram acusados pelo assassinato de Nelson Krobott, de 66 anos, ocorrido em março de 2016. A vítima foi decapitada e o corpo foi abandonado em uma lagoa de uma propriedade vizinha à sua no bairro Ano Bom Fundos, em área de difícil acesso zona rural do município de Corupá, próximo ao limite com São Bento do Sul, no Norte catarinense.
Krobott, a vítima
Os assassinos - Giovani Piontkewicz, hoje com 24 anos, Gabriel Gonçalves da Luz (irmão do menor que só completou maioridade uma semana depois do crime), 21, e Lindomar Staroski, 21, presos dias depois, aguardaram julgamento em alas separadas do Presídio Regional de Jaraguá do Sul - foram condenados a penas entre oito e 12 anos de prisão em regime fechado. O menor de idade na época está recolhido. A sessão foi presidida pela juíza Anna Finke Suszek e a acusação ficou a cargo do promotor de Justiça Márcio Cota. O caso ganhou repercussão nacional no ano passado e chocou a comunidade local pela crueldade. De acordo com informações apuradas pela Polícia Civil na época, a motivação do crime teria sido uma briga entre os quatro amigos suspeitos e a vítima, após ingestão de bebida alcoólica.
Polícia não conseguiu descobrir a causa da morte de Krobott, se morreu por afogamento ou espancado | Foto Arquivo/OCP
Segundo foi dito no tribunal, a motivação seria o fato de que a vítima teria colocado um peixe dentro do feijão que eles cozinhavam e um dos assassinos teria se afogado com a espinha do peixe. Eles brigaram e mataram o vizinho. A decapitação teria sido um desafio de um traficante da região, que teria oferecido drogas aos assassinos se eles comprovassem a barbárie que haviam cometido. No dia 13 de março, um morador do bairro encontrou o seu cachorro arrastando uma sacola pelo bananal e constatou que se tratava de uma cabeça humana. O corpo do decapitado foi localizado somente na manhã seguinte, na rua Jorge Lacerda, aproximadamente a um quilômetro de onde estava a cabeça de Krobboth. O primeiro suspeito do crime, na época com 23 anos, foi preso um dia depois. Passados quase 15 dias, dois irmãos de 18 e 20 anos se apresentaram na Delegacia da Polícia Civil de Corupá, na presença do advogado e do pai. O irmão mais novo, como era menor na época do crime, foi encaminhado na época ao Centro de Internação Provisória (Casep) de Caçador, de onde fugiu no início deste ano. Recapturado em 4 de maio, foi enviado para o Casep em Blumenau para cumprir sua condenação de três anos. O quarto envolvido se entregou no dia 30 de março. SAIBA MAIS: - Cabeça de homem é encontrada por cão em Corupá - Encontrado corpo do homem decapitado em Corupá