Dois homens acusados de participação em um assalto em Joinville, no bairro Fátima, no último dia 10 de janeiro, presos em flagrante na ocasião, tiveram a preventiva decretada pela juíza Regina Aparecida Soares Ferreira, titular da 1ª Vara Criminal daquela comarca, durante audiência de custódia.

Uma terceira pessoa participou da ação, mas se tratava de um adolescente. Nas últimas semanas, a mesma farmácia foi assaltada cinco vezes.

De acordo com o inquérito, os suspeitos entraram no estabelecimento lotado, em plena luz do dia, e com uma arma - ou simulacro de arma - ameaçaram os funcionários e clientes.

Uma mulher idosa foi golpeada com um mata-leão e empurrada. Depois de surrupiar o dinheiro no caixa, o trio fugiu de carro. Uma testemunha acionou a polícia e passou informações sobre os supostos criminosos.

A PM encontrou o automóvel e os suspeitos. Eles estavam, segundo o inquérito, com o dinheiro roubado. O adolescente e outro comparsa confessaram a prática delituosa, mas o terceiro negou qualquer participação.

Porém, de acordo com a juíza, a negativa encontra-se isolada nos autos e não enfraquece as evidências. O automóvel do acusado foi flagrado na cena do crime e os outros dois envolvidos admitiram o uso do carro. Além disso, o homem teria sido reconhecido pelas testemunhas.

"Tudo isso demonstra que, em tese, os conduzidos e o adolescente, em união de desígnios e comunhão de esforços, praticaram o crime de roubo circunstanciado", apontou a magistrada.

A prisão preventiva, finalizou, se justifica porque está evidenciada a periculosidade dos suspeitos e há o risco concreto de reiteração criminosa.