O vereador de Urussanga, Rozemar Sebastião, deixou a Câmara Municipal da cidade com xingamentos após a votação da instalação de Comissão Processante que analisaria o indiciamento do prefeito Luis Gustavo Cancelier, investigado pela Polícia Federal.

Rozemar votou contra a abertura da comissão e foi chamada de "vagabundo" e "sem vergonha" por populares que acompanhavam a votação do lado de fora do prédio do Legislativo. A Polícia Militar acompanhou a situação

Votação movimentada

A votação movimentou os bastidores políticos de Urussanga nos últimos dias. Foram quatro votos contra a instalação da Comissão que poderia resultar na cassação do prefeito. O vereador Taliano votou contra a instalação junto com outros três vereadores. No fim da votação, o placar ficou em quatro votos contra a instalação e cinco a favor mas, para a aprovação seriam necessários dois terços dos nove integrantes do Legislativo, ou seja, seis votos.

A investigação

O prefeito do Município está entre os investigados da Polícia Federal (PF) que indiciou 14 pessoas em uma operação que investiga desvios de dinheiro na Prefeitura de Urussanga. O valor superfaturado em duas obras investigadas pode chegar a mais de R$640 mil.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram momento:

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp