Vídeo: Roberto Salum, acusado de assédio sexual no Procon SC, alega armação e acusa ex-vereador Tiago Silva

Foto: Reprodução/Vídeo/Redes Sociais

Por: Ewaldo Willerding Neto

03/04/2024 - 14:04 - Atualizada em: 03/04/2024 - 14:06

Roberto Salum, ex-diretor do Procon de Santa Catarina, veio a público em um vídeo para afirmar que as acusações de assédio sexual contra ele foram parte de uma “armação” e que o pegaram de “surpresa”. Salum expressou sua tristeza com as alegações e afirmou que provará sua inocência perante à Justiça. Ele acusa o ex-diretor do órgão de ser o responsável pelas denúncias. Mais: denúncia o ex-vereador de desvio de recursos do Procon.

“Fiquei quatro dias amargando uma tristeza, uma armação, que eu vou esperar diante do juiz para provar essa armação. Tenho 55 anos de profissão na imprensa e nunca tive uma acusação de assédio”, disse Salum, que já trabalhou em rádios e TVs em Florianópolis.

O ex-diretor do Procon-SC também alegou que Tiago Silva, seu antecessor na pasta, teria conspirado contra ele após descobrir uma fraude “milionária” supostamente cometida por Silva. “Tiago, seu picareta, eu te desafio a provar que eu estou mentindo”, disse, no vídeo.

Roberto Salum afirmou ter levado o caso à Procuradoria Geral do Estado (PGE) e ao Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), mas os órgãos responderam que ele não apresentou provas.

Veja o vídeo

Tiago Silva, por sua vez, negou as acusações de Salum e declarou que irá acioná-lo na Justiça em resposta às alegações feitas no vídeo. O embate entre os ex-diretores do Procon de Santa Catarina promete se desenrolar nos próximos desdobramentos judiciais.

Confira a nota de Tiago Silva

“Na manhã desta quarta-feira (3/4), fui surpreendido por um vídeo em que o ex-diretor do PROCON/SC, recentemente exonerado pelo governador Jorginho Mello em razão de graves acusações de assédio contra uma mulher, lança um ataque covarde à minha imagem e à minha honra, proferindo afirmações absurdas e totalmente descoladas da realidade.

 

A “estratégia” é tentar desviar o foco das graves denúncias das quais é alvo, subestimando a inteligência da sociedade e, sobretudo, dos profissionais de imprensa.

 

Já acionei meu advogado para ingresso da devida ação judicial, para que o ex-diretor do PROCON/SC, reconhecido pela personalidade desequilibrada e sem a mínima credibilidade, responda na Justiça pela calúnia e difamação contra minha pessoa.”