A Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul começou a discutir esta semana o projeto de lei nº 114/2019, que prevê a criação de um Código de Arborização Urbana. Apesar de achar que a cidade  merece ter mais árvores, o vereador Anderson Kassner (PP) se posicionou de forma contrária à medida e indicou veto ao código.

Kassner destaca que o projeto enviado pelo Executivo ainda é superficial e mostra apenas as árvores e espécies que não podem ser plantadas, mas não há nada sobre as que podem. Por isso, o vereador defende a criação de um plano de arborização, que seria mais detalhado.

"Um plano mostra as espécies que podem ser plantadas em determinados lugares. Precisamos saber o que plantar, onde plantar e a quantidade de plantas. Esse código não diz nada sobre isso", enfatiza.

Segundo o vereador, o código não apresenta detalhes sobre vários pontos, como a poda de árvores, a largura das calçadas, tamanho das plantas e questões sobre os parques de lazer. Ele também enfatiza que Jaraguá do Sul está ganhando novas calçadas sem espaço para plantar.

Após a discussão na Câmara na terça-feira (28), o projeto recebeu pedido de vista do vereador Jaime Negherbon (MDB). Kassner indaga que a cada pedido de vista, mais tempo demora para o Plano de Arborização ficar pronto.

"Se o código passar, o plano nunca vai ficar pronto e vai virar uma coisa bem superficial", confessa.

Fujama defende plano, mesmo sem código

Mesmo que o plantio, manutenção e manejo da vegetação urbana seja de responsabilidade da Secretaria de Obras e Serviços Públicos, a Fundação Jaraguá do Meio Ambiente (Fujama) participou da elaboração do código.

O presidente da Fujama, Normando Zitta, disse que existem duas formas de fazer um plano de arborização - a primeira é por meio de um código e o segunda elaborando de forma direta. Se a Câmara vetar o projeto, ele acredita que o plano será executado do segundo jeito.

"Nós precisamos de um plano e eu não me preocupo se ele será feito através de um código ou não. Precisamos embelezar e cercar o município de verde", destaca.

Zitta destaca que a Fujama encerrou a licitação para compra de 28 mil mudas de árvores. Dessas, sete mil serão utilizadas na arborização urbana. "As árvores serão plantadas ao longo deste ano", destaca.

Atualmente, o Jaraguá do Sul não possui nenhuma legislação consolidada que preveja regras para a arborização na cidade. O documento enviado à Câmara passará a regulamentar o plantio, supressão e manutenção de árvores e demais vegetações.

A reportagem entrou em contato com o engenheiro florestal da Secretaria de Obras para esclarecer sobre as críticas relacionadas ao projeto, mas não obteve retorno.

 

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?