Na sessão desta quinta-feira (24), os vereadores de Jaraguá do Sul declararam apoio à greve dos caminhoneiros que ocorre por todo o país. Na tribuna do plenário, eles mostraram indignação com os preços dos combustíveis e com a situação financeira em que a Petrobrás se encontra.

Quer receber as notícias no WhatsApp? Clique aqui

Isair Moser (PSDB) afirmou que a atitude dos caminhoneiros serve de exemplo para toda a população e entende que esse é um caminho para acabar com a corrupção.

Marcelindo Gruner (PTB) disse que o momento é de reflexão também sobre o pacto federativo, que distribui mal os recursos arrecadados pelo poder público, privilegiando a esfera federal e prejudicando os âmbitos estadual e municipal. O parlamentar acha que, para que a conjuntura mude, um preço, como essa greve, tem que ser pago.

Para Jaime Negherbon (PMDB), a situação não pode continuar como está. Ele lembra dos casos de corrupção na Petrobrás que deixaram o caixa da empresa quebrado e afirma que essa conta não pode ser paga pelo povo.

"Situação não pode se prolongar"

Jackson Ávila (PMDB) mostrou temeridade sobre o alcance do movimento e pediu que deputados, senadores e governo não deixem essa situação se prolongar, procurando o quanto antes um acordo com a categoria.

Ademar Winter (PSDB) disse que o atual preço do óleo diesel é um absurdo. Ele adverte que muitos caminhoneiros não conseguem nem pagar a prestação do financiamento de seus caminhões.

Winter ainda lembrou que muitos motoristas que moram em região de fronteira compram combustível nos países vizinhos por um preço bem mais baixo, mesmo que o combustível seja brasileiro.

Eugênio Juraszek (PMDB) também parabenizou os caminhoneiros pela coragem do movimento, mas demonstrou preocupação com relação aos materiais para a saúde e ração para criação de animais.

Ele teme pela vida de pessoas que precisam de medicamentos e materiais para tratamento de saúde. Para ele, carregamentos desses tipos deveriam ter trânsito livre.

Com informações de assessoria de imprensa.