Com aprovação de dois projetos, na sessão da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul desta terça-feira (19), o governo municipal vai investir cerca de R$ 836 mil em pequenas cirurgias e exames de imagem para atender demanda reprimida ao longo do ano.

Com os recursos aprovados, em forma de convênio com o Hospital São José, serão realizadas 1,5 mil pequenas cirurgias de demanda do Centro Vida, totalizando R$ 64 mil de investimento.

“São procedimentos como de pele, biópsias, entre outros, que estavam parados e agora com esse convênio vai agilizar”, afirma o líder de governo na Casa, Pedro Garcia (MDB).

Já a maior parte dos recursos, R$ 772 mil, aproximadamente, serão destinados para realização de 3.250 exames de imagem, sendo colonoscopia (150 exames), endoscopia (1 mil), ressonância  magnética (1,1 mil exames), ultrassonografia com doppler (200 exames), videolaringoscopia (300 exames) e espirometria (500 exames).

Assim como as cirurgias, os exames também serão realizados ao longo do ano, “mas será agilizado”, afirma o líder de governo. Os projetos de lei tramitavam em regime de urgência e foram aprovados em votação única.

Modelo poderia aliviar filas

Durante a discussão da matéria, o presidente da Casa, Marcelindo Gruner (PTB), disse que vai sugerir ao Executivo a criação de um programa municipal semelhante ao realizado na cidade de São Paulo, pelo então prefeito João Dória (PSDB), chamado Corujão da Saúde.

Segundo o vereador, por meio do programa, o então prefeito fechou um convênio para realizar procedimentos médicos nos períodos de ociosidade em que os equipamentos das clínicas e hospitais não estavam sendo usados.

Dessa forma, afirma Gruner, a Prefeitura de São Paulo teria conseguido comprar os procedimentos com valores mais baratos. O presidente relatou que esteve com a diretoria do Hospital São José na segunda-feira (18) e, segundo ele, o hospital teria interesse na proposta.

Na unidade, os equipamentos seriam utilizados até às 21 horas, e O uso poderia ser estendido até às 22 horas. “O hospital vai ganhar, o Município vai ganhar, porque vai conseguir barganhar um bom preço, e principalmente o cidadão que está na fila de espera vai ganhar”, disse o vereador, na tribuna.

Gruner deve sugerir a ideia à Secretaria de Saúde. Ele argumenta que os mutirões feitos pelo Município conseguem aliviar a demanda reprimida, momentaneamente, já que três meses depois dos mutirões, as filas voltam a ficar grandes, com mais de mil pessoas na espera.

Para o vereador Arlindo Rincos (PSD), o programa poderia reduzir a necessidade de levar os pacientes de Jaraguá do Sul para serem atendidos em outras cidades, o que gera, além de custos públicos com transporte, desgaste para os que precisam do serviço.

ISS não é votado

O projeto que aprova a isenção do ISS (Imposto Sobre Serviço) para o transporte coletivo de Jaraguá do Sul não foi para votação na sessão desta terça-feira (19).

A proposta, que retira a cobrança do imposto à Viação Canarinho - resultando em isenção entre R$ 80 mil e R$ 100 mil ao mês -, estava prevista na pauta do dia, mas foi retirada por decisão do presidente da Casa, Marcelindo Gruner (PTB), antes do início da sessão.

Com o projeto, a prefeitura busca subsidiar a redução de 15 centavos no valor da passagem, mantendo a tarifa em R$ 4,60 a antecipada e R$ 5 a embarcada.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?