As duas vereadoras de Jaraguá do Sul, Nina Santin Camello (Progressistas) e Sirley Schappo (Novo), participaram da sessão de terça-feira (28) na Câmara Municipal de Guaramirim, para apresentar a Procuradoria da Mulher aos vereadores guaramirenses. O requerimento para a participação delas foi proposto pela vereadora Maria Rosana (PSD).

Nina e Sirley explicaram o funcionamento da Procuradoria e as atividades às quais o órgão se propõe a realizar. O objetivo é o de também criar a Procuradoria da Mulher do Legislativo de Guaramirim.

Nina, que é a procuradora em Jaraguá do Sul, contou que a proposta do órgão é de orientação e acolhimento das mulheres, realizando, quando necessário, o encaminhamento delas a outras instituições que lhes atenderão e poderão resolver os problemas apresentados, como a Rede Catarina da Polícia Militar, a Delegacia de Polícia da Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI), Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Unisociesc, entre outras com as quais a Procuradoria da Mulher tem parceria.

É a partir dessas demandas que as procuradoras poderão propor e trabalhar na criação de políticas públicas que visem a melhoria da situação das mulheres no município.

“Nós sabemos que muitas mulheres têm receio de procurar a polícia ou de ir até um Cras ou Creas, ou que muitas vezes elas nem sabem onde devem ir. E se sentem mais tranquilas ao procurar uma vereadora”, explicou Nina.

E segundo Sirley, que é a procuradora adjunta em Jaraguá, não são apenas casos de violência contra a mulher. “Eu, como fui professora e diretora de escola, recebo muitas solicitações de mulheres questionando sobre vagas em creches, dúvidas sobre o zoneamento escolar. Não cabe a mim tentar uma vaga na educação infantil para ela. Eu estaria desrespeitando o procedimento adotado pela Prefeitura, que é a fila de espera. Eu oriento ela em como acessar o site, preencher os dados e solicitar a vaga”, observou.

Para atender a todos esses objetivos, a Procuradoria ainda pode promover audiências públicas, pesquisas e estudos sobre os temas relacionados. Em Jaraguá do Sul, as procuradoras têm mandatos de dois anos nas funções. A lei de criação do órgão ainda prevê que esses cargos deverão ser ocupados preferencialmente por vereadoras mulheres, mas, caso não haja nenhuma vereadora eleita, eles também poderão ser ocupados por vereadores homens.

Atualmente, conforme Nina, já são 32 Procuradorias da Mulher instituídas por Câmaras de Vereadores em Santa Catarina. “Espero que Guaramirim seja a 33ª procuradoria”.

Foto: Divulgação