Uma decisão judicial está mexeu com o cenário político eleitoral de Guaramirim nesta quinta-feira (24). O vereador Carlos Ernesto Friedemann, do PL, que seria vice na chapa do candidato Fernando Nilson da Silva, conhecido como Fernando da Santer do MDB, será substituído por Mário Sérgio Peixer Filho (PSDB).

A troca foi por conta do vereador correr o risco de ter seus direitos políticos suspensos por conta de uma decisão judicial.

O juiz Samuel Andreis, da 2ª vara criminal da Comarca de Jaraguá do Sul, emitiu sentença em que o vereador Ernesto Friedemann foi condenado à pena privativa de liberdade de 6 meses de detenção, em regime aberto, sendo substituída por pena restritiva de direitos consistente na prestação pecuniária no valor de 5 salários mínimos, à pena de suspensão da CNH por 2 meses e à pena de multa.

O juiz intimou que a defesa dele entregue sua CNH no Ciretran e comprove nos autos em 48 horas a contar da data da decisão que foi dada na quarta-feira (23).

O Ministério Público também determinou que seja comunicado o Promotor Eleitoral de Guaramirim a quem caberá informar à justiça eleitoral e à Câmara de Vereadores para a suspensão dos direitos políticos do vereador. A decisão foi assinada pelo promotor de justiça Belmiro Hanisch Junior. Mas ainda na tarde desta quinta-feira (24), a Câmara de Guaramirim não havia sido notificada.

Processo foi movido em 2016

A determinação é decorrente de processo por suposta embriaguez ao volante do vereador Carlos Ernesto Friedemann registrado em ocorrência policial do dia 9 de julho de 2016, na rua Bernardo Dornbusch, no bairro Baependi, em Jaraguá do Sul.

No processo civil consta que “ao serem informados de um acidente de trânsito, os policiais chegaram no local e constataram que Friedemann estava com sua capacidade psicomotora alterada em razão de influência de álcool, causando uma colisão com um canteiro em via pública.”

O vereador, por meio de sua defesa, alegou na época que não estava alcoolizado e que não teria sido feito o exame do bafômetro.

Procurado, Friedemann disse que foi surpreendido pela decisão judicial e que vai recorrer da decisão, comentando que na época do acidente, subiu num canteiro à beira da estrada, depois de ter sido fechado por outro veículo. O vereador afirma que não estava embriagado.

Sobre a questão de não concorrer mais ao cargo de vice na chapa com o MDB, Friedemann diz que respeita a decisão da chapa e que pretende concorrer à reeleição como vereador. Também disse que acredita que seus direitos políticos não devem ser suspensos pois deve recorrer da decisão.

 

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul