A Câmara Municipal de Florianópolis abriu processo de cassação contra o vereador Maicon Costa (PSDB) por conta de declarações ao jornalista Clayton Ramos, da Rádio Guarujá, em Florianópolis.

Na entrevista, o radialista disse comparar a Câmara a um prostíbulo, em função do comportamento de alguns vereadores. O assunto em pauta era o fim do recesso parlamentar de meio do ano, proposto por Maikon, e que teve voto contrário da maioria dos vereadores.

Na entrevista, Ramos se mostrou a favor do fim do recesso e indignado com os votos contrário. Em sua explanação, o radialista revelou sua insatisfação e, em determinado ponto da conversa, fez a comparação do Legislativo com um prostíbulo por conta da atuação de alguns vereadores. A fala teve o apoio de Maikon e repercutiu negativamente no Legislativo municipal.

Câmara criou a Comissão Processante | Foto CMF/Divulgação

Indignado com as palavras do vereador, o servidor Marlúcio Amaral, com o apoio de outros funcionários da Casa, apresentou uma denúncia com pedido de criação de Comissão Processante.

A proposta foi colocada em Plenário e aprovada pelos vereadores – sem a participação de Maicon e com a abstenção de Jeferson Backer, por ser também do PSDB.

A Comissão foi formada com Erádio Manoel Gonçalves (PR) como presidente; Fábio Braga (PTB) como relator e Guilherme Pereira (MDB). Se decidir pela cassação, a comissão levará o relatório final ao Plenário, que decidirá pela cassação ou não do vereador.

Receba as notícias do OCP no WhatsApp: