Parada há mais de cinco anos, a obra do residencial Santa Luzia, em Jaraguá do Sul, foi retomada está perto de ser finalmente inaugurada.

A previsão é que em agosto o empreendimento seja entregue para cerca de 155 famílias beneficiadas pelo Programa Minha Casa Minha vida.

A convite dos representantes da superintendência da Caixa Econômica Federal, construtora responsável pela retomada da obra e o setor de Habitação da Prefeitura, o vereador Luís Fernando Almeida (MDB) visitou a estrutura do residencial Santa Luzia nesta quinta-feira (18).

Segundo o parlamentar, a obra estava parada devido a problemas relacionados com a construtora antiga e ao governo federal por falta de repasse financeiro.

Na época, Almeida que era o diretor de Habitação da Prefeitura de Jaraguá do Sul foi para Brasília com o deputado federal Carlos Chiodini (MDB) solicitar ao Ministro do Desenvolvimento Regional, recursos para a conclusão das obras do Residencial.

Após as tratativas e em comunhão de esforços, a Prefeitura de Jaraguá e o governo federal aportaram valores para a conclusão da obra.

Como atual vereador da Câmara de Jaraguá do Sul é líder de governo, o parlamentar foi convidado a verificar o andamento dos trabalhos. Segundo Almeida, o empreendimento tem um critério social muito grande e muitas famílias que estão em busca de um lar esperam pela inauguração.

Foto: Divulgação

Demora

A previsão inicial era para ser entregue em 2011, mas o residencial só começou a ser erguido em março de 2014 a passos lentos e o término estava previsto para 2015.

“Como todos sabem, nós tivemos toda uma tratativa com o governo federal que não tinha recursos para finalizar essa importante obra. E a Habitação de Jaraguá do Sul, por intermédio do Executivo Municipal aportou uma parte dos valores para a retomada dos trabalhos, mesmo não sendo de sua responsabilidade”, relembra o vereador que na época era o diretor da pasta.

De acordo com o parlamentar, o Município chegou a autorizar um repasse de R$ 960 mil ao Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), por meio do Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social (FMHIS) para forçar a celeridade na conclusão da obra.

Como houve deterioração no período que o empreendimento ficou paralisado, sendo necessário corrigir problemas de infiltração e pinturas, o valor total ficou orçado em R$ 3,4 milhões.

“Muitas vezes éramos cobrados pelos munícipes achando que a construção era de responsabilidade do poder público. Mas com o tempo, a população pode acompanhar que era do governo o problema. Ano passado a prefeitura conseguiu realizar os encaminhamentos necessários”, comenta.

A visita contou com a presença dos representantes da Superintendência da Caixa, profissionais da Habitação de Jaraguá do Sul e da Construtora Roma de Joinville.

*Fonte: Assessoria de Imprensa do vereador Luís Almeida