Em uma disputa com outros cinco candidatos à prefeitura, o ex-prefeito Felipe Voigt (MDB) foi o reeleito em Schroeder para mais um mandato à frente do Município, ao lado do vice na chapa Lauro Tomczak (PP).

A partir de 1º de janeiro de 2021, Voigt inicia seu terceiro mandato. Empresário, o emedebista foi eleito prefeito pela primeira vez em 2004, e reeleito no pleito seguinte, assumindo até 2012.

Neste ano, Voigt conquistou 5.011 votos, que representa 48,61% do total dos votos válidos, uma porcentagem expressiva considerando que a disputa contou com seis chapas na eleição majoritária.

Para o próximo mandato, o eleito pretende continuar com projetos que já havia iniciado nas gestões anteriores, como a continuidade da abertura da Avenida dos Imigrantes, e ainda a construção de mais uma ponte ligando à Jaraguá do Sul.

Além da Educação e da Saúde, a busca por recursos, do governo federal e estadual, também será uma das prioridades do novo governo, para a pavimentação de ruas reivindicadas pelos moradores, afirma o eleito.

O OCP News também procurou o vice-prefeito para a entrevista, mas não teve retorno até o fechamento da edição impressa.

Veja abaixo a entrevista completa com Felipe Voigt:

Parabéns pela vitória. Indo para o terceiro mandato, o senhor tem projetos ou ações que já havia começado ou não teve possibilidade de começar nos mandatos anteriores e que gostaria de poder iniciar nesta nova oportunidade? Quais?

Eu tive o projeto da abertura da Avenida dos Imigrantes. O projeto foi feito e é uma reivindicação da população. E nós vamos em busca desses recursos para executar pelo menos uma parte dela e também para a construção de mais uma ponte, ligando o município com Jaraguá do Sul.

Quanto a projetos novos, quais o senhor destacaria como principais para o primeiro ano de governo, ou até o fim do mandato?

Fora a Educação e a Saúde, que é prioridade, vamos investir no primeiro ano para se colocar a par de tudo o que está acontecendo na administração atual, vamos depender também da Covid-19, o que vai nos deixar [fazer].

Mas vamos em busca de recursos tanto em Brasília quanto no governo do Estado, para continuar fazendo as pavimentações que o pessoal tanto espera, e principalmente com recursos a fundo perdido [financiamento não-reembolsável].

Temos novos traçados no município, como a Alberto Zanela com ligação à rua Santa Catarina, mais uma ponte que até hoje só temos uma rua principal com uma ponte, se der um problema nessa ponte ficamos com a cidade parada.

E também avançar em busca de recursos ou projeto para saneamento básico, que é uma questão de lei, é obrigatório iniciar até 2022.

O senhor pensa em uma parceria público-privada?

Eu penso que nós vamos em busca, se não tiver outro jeito, em busca de recursos, mas nós vamos em busca de parceiros.

Vamos tentar fazer um convênio, ou consórcio, dentro da própria Amvali [Associação dos Municípios do Vale do Itapocu], como por exemplo Jaraguá do Sul, que já tem 90% [meta para 2020, segundo Samae] da rede de esgoto implantada. Quem sabe podemos formar essa parceria para eles assumirem nosso sistema.

Quanto à montagem da equipe e retorno a trabalhar com os servidores municipais, como está a expectativa?

Nós estamos finalizando essa semana [a definição de] uma parte dos secretários, que vão assumir principalmente a parte da Administração, Procuradoria, Saúde e Educação, que são as prioridades. Vamos elencar primeiramente esses secretários para conduzir já esse processo porque começo do ano temos que ter uma equipe preparada.

Em questão de relacionamento com os funcionários, nós vamos fazer um governo de transparência. Vamos em busca de motivá-los, como nos outros mandatos, valorizá-los e trabalhar para sejam nossos parceiros, que eles possam executar bem a sua função dentro da administração pública, para que a população seja atendida cada vez com mais carinho, atenção e mais valorização, e acredito que isso vai ser bom para todo mundo.

Em relação à Câmara de Vereadores, como o senhor espera que seja esse trabalho em conjunto?

Vejo que será de muito diálogo. Sempre fui um prefeito de muita transparência e diálogo, então acredito que os nobres vereadores eleitos também vão querer trabalhar junto a sua comunidade, aprovando os projetos que são bons para a cidade.

E isso é o que nós também queremos, não queremos inventar nenhum projeto que possa prejudicar a sociedade, e sim sempre governar com transparência e bastante diálogo. E se alguém for contra [a algum projeto], na realidade, tem que prestar conta para a sociedade, não só o governo.

Mas acredito que pelas pessoas que se elegeram, todas têm vontade, garra, para querer mostrar serviço, e acredito que vai ser uma excelente Câmara para trabalhar junto.

Em relação ao vice-prefeito, já ficou definido como será a atuação dele?

O Lauro vai ser vice-prefeito e um parceiro. Vai ter acesso a participar nas decisões e poder atender às pessoas, não como secretário, mas sempre como vice-prefeito. Que ele possa sim ajudar, não são dois prefeitos, mas digo que a relação é como se fosse um casamento, nós dois temos que trabalhar alinhados, de forma conjunta, para administrar os problemas que vão surgindo, com transparência, clareza e dentro de uma realidade.

Não adianta um querer inventar uma coisa, o outro, outra, não é para isso que o povo nos elegeu. Então com minha experiência e a experiencia que o Lauro tem na área da saúde, acredito que ele possa dar sim uma contribuição nessa área, principalmente.

 

Telegram Jaraguá do Sul