O uso de máscaras caseiras aparece em meio a esta pandemia de coronavírus como mais um meio de proteção contra a doença recomendada recentemente pelo Ministério da Saúde (MS).

Por causa da dificuldade de encontrar máscaras nos estabelecimentos comerciais, a orientação dada pelo MS e demais órgãos de saúde é que as máscaras podem ser produzidas de forma caseira de pano ou TNT e que também funcionam como barreiras na propagação da doença.

Mas claro, sem deixar de tomar os demais cuidados necessários como lavar bem as mãos com água e sabão, usar o álcool gel quando possível, e seguir as medidas de prevenção de distanciamento e isolamento social.

De acordo com a gerente de Vigilância Epidemiológica de Jaraguá do Sul, Fabiane da Silva Ananias, essa é, inclusive, uma recomendação da Sociedade Brasileira de Infectologia em nota emitida recentemente, reiterando que a máscara de tecido pode diminuir a disseminação do vírus por pessoas assintomáticas ou pré-sintomáticas.

Além disso, o uso da máscara caseira, permite que as máscaras profissionais (n95, por exemplo) – em falta no mercado por causa da procura indiscriminada – sejam priorizadas aos profissionais da saúde, que estão acentuadamente mais expostos ao risco de transmissão. Diariamente, eles precisam estar em contato próximo ou mesmo físico com os pacientes, além de atuarem em situações como entubamento de pessoas infectadas.

O Ministério da Saúde divulgou que tem feito compras de fornecedores nacionais e internacionais, em grandes quantidades, para garantir a proteção dos profissionais de saúde, que trabalham na assistência às pessoas doentes, e, por isso, recomenda que a população confeccione as próprias máscaras evitando a compra disseminada.

A medida de prevenção é cultural em outros países

O uso de máscaras em países asiáticos, por exemplo, já era comum mesmo antes do surto de coronavírus. Em alguns países, como a China, onde as pessoas usam as máscaras quando estão doentes, ou durante o período em que ocorrem mais casos de doenças respiratórias, porque é considerado descortês tossir ou espirrar sem proteção. Prevenção contra poluição é também um dos motivos para o uso, principalmente nas capitais. Nesses países usar máscara tornou-se símbolo de proteção e solidariedade.

Municípios adicionam medida em decreto

Em Joinville, o prefeito Udo Döhler (MDB) reforçou o uso de máscaras no decreto assinado nessa segunda-feira (6). “Fica recomendada a toda a população a utilização de máscaras de proteção, confeccionadas em tecido em conformidade com orientações do Ministério da Saúde”, aponta o decreto municipal. Outras prefeituras também já incluíram a medida em decretos, como Paranaguá (PR) e Montes Claros (MG).

Saiba como confeccionar uma máscara em casa:

  • Em primeiro lugar, é preciso dizer que a máscara é individual. Não pode ser dividida com ninguém, nem com mãe, filho, irmão, marido, esposa etc. Então se a sua família é grande, saiba que cada um tem que ter a sua máscara, ou máscaras;
  • A máscara deve ser usada por cerca de duas horas. Depois desse tempo, é preciso trocar. Então, o ideal é que cada pessoa tenha pelo menos duas máscaras de pano;
  • Mas atenção: a máscara serve de barreira física ao vírus. Por isso, é preciso que ela tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja, dupla face;
  • Também é importante ter elásticos ou tiras para amarrar acima das orelhas e abaixo da nuca. Desse jeito, o pano estará sempre protegendo a boca e o nariz e não restarão espaços no rosto;
  • Use a máscara sempre que precisar sair de casa. Saia sempre com pelo menos uma reserva e leve uma sacola para guardar a máscara suja, quando precisar trocar;
  • Chegando em casa, lave as máscaras usadas com água sanitária. Deixe de molho por cerca de dez minutos;
  • Para cumprir essa missão de proteção contra o coronavírus, serve qualquer pedaço de tecido, vale desmanchar aquela camisa velha, calça antiga, cueca, cortina, o que for.

Quando utilizar

Sempre que sair de casa. Em casa, quando estiver com sintomas de gripe ou resfriado. Quando sair de casa, leve consigo dois recipientes, um com as máscaras limpas (para trocá-las, quando necessário) e outro para guardar as máscaras usadas (sujas). Não use a máscara por mais de 2 a 4 horas e troque-a se estiver úmida. Ao chegar em casa, lave as mãos com água e sabão antes de retirar a máscara (veja item “Como devo retirar”).

Como colocar

A máscara deve estar limpa antes do uso e deve cobrir todo o nariz e a boca. Lave bem as mãos com água e sabão antes e depois de manusear a máscara. É indicado colocá-la no rosto ainda dentro de casa; não tocá-la enquanto estiver na rua.

Como devo retirar

Antes de retirar a máscara, lave as mãos com água e sabão. Remova-a pelos elásticos ou amarração e evite tocar na frente da máscara, pois pode estar contaminada. Lave novamente as mãos. Coloque-a para lavar o mais rápido possível. Se não puder lavá-la imediatamente, guarde-a em sacola fechada.

Como lavar a máscara

Após o uso, a máscara deve ser imersa em solução de hipoclorito de sódio 0,1% (50 ml de água sanitária de 2 a 2,5% para cada litro de água) por 15 minutos; depois, enxaguar em água limpa, colocando-a para secar. Lave separadamente de outras roupas. O mais indicado é que o próprio usuário lave a peça. Após secagem, recomenda-se passar a máscara com ferro quente e guardá-la em local limpo e seco.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul