O corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, deu prazo de cinco dias para que o ex-presidente Jair Bolsonaro explique sobre uma postagem contra o resultado das eleições e também sobre os atos do dia 8 de janeiro em Brasília.

A decisão de Gonçalves atende a um pedido da campanha de Lula à Presidência da República.

Além de Bolsonaro, também serão notificados o ex-ministro da Defesa Braga Netto, o senador Flávio Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro.

Segundo a campanha de Lula, Bolsonaro compartilhou em seu perfil oficial nas redes sociais, questionamentos sobre o resultado das eleições de 2022. A postagem foi feita após os atos do dia 8 de janeiro e apagada após cerca de duas horas.

Na ação, a campanha alega suposto uso indevido dos meios de comunicação social e abuso de poder político.