Prefeito de Guaramirim, Luís Chiodini (PP), critica descaso do Estado com o município | Foto Eduardo Montecino/OCP News
Prefeito de Guaramirim, Luís Chiodini (PP), critica descaso do Estado com o município | Foto Eduardo Montecino/OCP News

As principais vias usadas como escape à interdição da SC-108, em Guaramirim, terão o trânsito interrompido por uma hora nesta quarta-feira (13) como forma de protesto contra a falta de ação do governo do Estado para as obras de reparo na rodovia estadual.

A partir das 14h, o prefeito de Guaramirim, Luís Chiodini (PP), secretários municipais, assessores e demais servidores comissionados, além de moradores e agricultores, fecharão o trânsito da avenida Izídio Carlos Peixer, próximo à escola Germano Laffin, no bairro Ilha da Figueira, e as ruas Vedelino Kamer e Eugênio Devigilli (Ponte Comprida), no Barro Branco.

Segundo o prefeito, a Secretaria de Estado da Casa Civil havia se comprometido, na semana passada, a marcar na segunda-feira (11) uma reunião entre a prefeitura e o governo estadual, mas até o início da tarde de terça-feira (12) ninguém do Estado teria entrado em contato, diz Chiodini.

A reunião, anunciada pelo secretário da Casa Civil, Douglas Borba, envolveria os técnicos da Secretaria de Infraestrutura e Defesa Civil estadual para a discussão de um cronograma da obra, estabelecendo prazos para a recuperação.

A rodovia foi interditada depois do deslizamento de terra no bairro Vila Freitas, na madrugada de 18 de fevereiro. Passadas três semanas do incidente sem um posicionamento oficial do governo ou uma ação concreta para resolver a situação, o prefeito decidiu organizar a paralisação.

“A única coisa que tive de ajuda a respeito do deslizamento, exceto envio de cesta básica e kit de higiene uma semana depois, foi com a Defesa Civil que mandou geólogo e geógrafa para vistoriar o deslizamento, mas cinco dias depois. Fora isso, não tive nada de concreto do governo do Estado”, conta o prefeito.

O OCP tentou contato na tarde desta terça-feira (12) com o secretário da Casa Civil por telefone, mas a assessoria informou que ele estava em reunião do colegiado no período e não conseguiu retorno após fechamento da edição.

Moradores mobilizados

O vice-prefeito, Osvaldo Deviligi (DEM) também tem sido a ponte entre Prefeitura e os agricultores e moradores das estradas do interior do município usadas como escape à SC-108.

Essas vias serão paralisadas nesta quarta-feira. Ele conta que agricultores e moradores também estão preocupados com a situação e devem fazer parte do protesto.

Com a interdição da SC-108, o movimento nas ruas teria aumentado cerca de dez vezes, dificultando a manutenção das vias por parte da Prefeitura, que acabam ficando sem condições para transitar e dificultam o escoamento de produção e atividade agrícola.

Prefeito critica descaso

Para o prefeito, além do peso que o Município já carrega em suprir a ausência do estado na questão de medicamentos, recursos para a Saúde e manutenção das rodovias, a falta de informações oficiais e de um cronograma dificulta o planejamento da Prefeitura e também dos moradores e comerciantes afetados.

Segundo Chiodini, moradores dependem da recuperação do asfalto para que suas casas possam ser novamente vistoriadas e então poderem retornar, assim como os comerciantes poderiam planejar os negócios, por exemplo, negociando uma redução de jornada e salário temporária, de acordo com o cronograma de obras.

“Eu não sei se eles não entenderam, eu não estou pedindo para começar a obra agora, eu só estou pedindo que nos deem uma satisfação e realmente certeza naquilo que vão falar”, diz o prefeito. Caso o governo não responda ao Município em até uma semana, novas paralisações – e por mais tempo – devem ser programadas.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?