A Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul realizou na quinta-feira (31), uma audiência pública no Rio da Luz para discutir a nova normativa de tombamento do bairro, e que tem gerado dúvida entre os moradores.

A audiência foi um requerimento do vereador Ademar Braz Winter (PSDB). Algumas pessoas do bairro buscam alternativas para desburocratizar as regras para construções, reformas e demolição de imóveis do Rio da Luz.

O presidente da Associação dos Moradores do Rio da Luz Onísio Glatz, chamou a atenção para a ausência de representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), enfatizando que o órgão mostrou desinteresse com a posição dos moradores do bairro.

"Um órgão que nada fez para melhorar o bairro até o momento. Qual é o respeito do Iphan com a comunidade?", questionou.

A vice-presidente da Associação Cláudia Piske, afirma que a comunidade reinvidica que todos os 49 quilômetros quadrados do bairro sejam destombados, e não apenas parte deles, como está previsto no documento.

"A normativa ainda não foi ratificada pelo governo federal, ainda tem tempo para rever isso", diz.

A chefe de gabinete da Prefeitura de Jaraguá do Sul Emanuela Wolf, acredita que existe um desconhecimento sobre tudo que envolve o tombamento do bairro e a nova normativa que esta em execução.

"E nós como Município ficamos em meio a esse impasse para resolver essa questão, por que é uma lei federal", esclarece.

Em busca da solução

Ao fim da audiência, foi pactuado a formação de um grupo de trabalho que irá estudar a questão para propor formas de solucionar o problema. O grupo será formado por moradores do Rio da Luz e representantes da Prefeitura jaraguaense, Câmara de Vereadores, OAB e outras instituições.

Uma das pessoas que sugeriu a criação dessa comissão foi Emanuela Wolf. Além de perceber um desencontro de informações, ela estava sentindo a falta dos moradores do bairro exporem sua opinião.

"O ponto principal dessa comissão é que alguns moradores do bairro vão discutir o problema", diz.

Um dos objetivos é buscar ajuda dos deputados federais do município, Fábio Schiochet (PSL) e Carlos Chiodini (MDB), para construir uma proposta que atenda a comunidade.

Várias autoridades estiveram no evento e puderam contribuir com a discussão, como os ex-prefeitos Irineu Pasold, Ivo Konell e Cecília Konell, o deputado estadual Vicente Caropreso, o presidente da OAB do município, Gustavo Pacher.

Apesar de 184 pessoas assinarem a lista de presença, a Associação de Moradores do Rio da Luz estima que cerca de 250 pessoas estiverem presentes na Sociedade Vitória durante a audiência pública.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger