A falta de clareza quanto aos rumos da SC-108 pode levar a um bloqueio na rua Izidio Carlos Peixer, que tem servido como via alternativa para a estrada. E a movimentação está sendo organizada pelo prefeito de Guaramirim, Luis Antônio Chiodini, que reclama estar cansado de pedir respostas do governo do estado sem receber.

"Se não tivermos prazos e valores para a obra até sexta-feira, na segunda ou na terça-feira vamos bloquear a via e os produtores rurais vão colocar seus veículos nas vias do interior", alerta.

A prefeitura encaminhou um pedido oficial de esclarecimentos ao governo do Estado, reivindicando prazos para recuperação da estrada estadual.

A via está interditada há duas semanas após um desbarrancamento em fevereiro, e moradores do entorno estão em lares provisórios, o que tem afetado o orçamento da Prefeitura com despesas de aluguel social e cestas básicas.

Com a estrada interditada, o escoamento de cargas da região tem necessitado de vias alternativas pela região rural de Guaramirim.

"Isto é inaceitável, já deveríamos ter a obra encaminhada, mas o que temos tido até agora é o silêncio, o que pretendem fazer? Como e quando vai ser feito? Não nos passam nada", reclama o prefeito.

Chiodini lembra que a via é chave para o escoamento de mercadorias e para o trânsito de trabalhadores pela região. Cerca de 14 mil veículos passavam diariamente pela SC-108 e agora buscam rotas alternativas.

"No fim de semana a situação estava insuportável. O tráfego de caminhões pelas vias rurais tem prejudicado os pontilhões, e estamos com dificuldades para transportar pacientes para Blumenau", explica.

O prefeito ainda questiona a falta de verba e as prioridades do governo do estado.

"Não tem muito tempo o governo do estado liberou R$ 4 milhões para as obras do acesso ao aeroporto de Florianópolis, é uma obra importante, mas não é uma obra que oferece risco de vida, enquanto aqui temos uma obra emergencial e nada", compara.

O prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, afirma que o governo estadual já foi cobrado na única audiência que prefeitos da região tiveram até o momento com o governador Carlos Moisés.

"Apesar de pavimentado, o desvio – que passa pela rua Carlos Oeschler, no bairro Ilha da Figueira – não comporta todo o trânsito que está passando por ali. Esperar até abril pode tornar a situação insustentável”, adiciona.

 

Projeto deve ficar para abril

Segundo o superintendente regional do Deinfra, Ademir Machado, o governo do estado ainda está trabalhando um projeto para reconstrução da pista e para evitar novos desbarrancamentos.

"Existe um trabalho sendo analisado pela defesa civil, para elaborar um projeto de reforço, enquanto nós fazemos o projeto de reconstrução. O morro coloca em risco tanto a estrada quanto os moradores do entorno", explica.

A entrega dos projetos está prevista para abril - até lá, não há estimativa de custos ou de prazos finais, nem de recursos para a execução da obra. O reparo da rodovia deve custar R$ 1 milhão, financiado pela verba de manutenção das rodovias.

Na região, está liberado apenas o trânsito local em vias municipais. A rodovia não será aberta para tráfego antes das obras. Para isso, foram projetados desvios pelas rodovias BR-280 e 101.

Esta não é a primeira vez em que o trecho da 108 passa por desbarrancamentos . Segundo levantamentos, passam três nascentes pela área, o que torna o terreno menos estável.

"A recuperação da estrada não é o principal, mas a segurança daquela região, dado que se não for feito algo a situação deve se agravar", afirma o prefeito Chiodini.

Situação é inadmissível, diz deputado

Para o deputado federal Carlos Chiodini (MDB), não há justificativa para o não andamento das obras de recuperação da via. "Isto é vergonhoso, lamentável e inadmissível", define.

Por se tratar de uma  obra emergencial, a recuperação contaria com dispensa de licitação. "E não é possível que seja um custo tão elevado a ponto do governo do estado não poder cobrir", afirma.

Segundo o deputado, para os cofres públicos a obra não deve ser "o fim do mundo". Isto é uma obra de emergência em uma via chave da região, o mínimo era que a obra já tivesse sido iniciada", critica o parlamentar.

O deputado federal Fábio Schiochet (PSL), do partido do governador, não respondeu às tentativas de contato da reportagem até o fechamento da matéria.

Rotas alternativas

Pela Ilha da Figueira

Na rua José Theodoro Ribeiro, acesse a rua Carlos Oechsler e siga até se tornar rua Anélio Nicoceli, no bairro Figueirinha, em Guaramirim. A via se liga a SC-108, após o ponto interditado.

Pela Barra do Rio Molha

Na Estrada Rio Molha, após a subida, seguem cerca de dois quilômetros em estrada de chão e vire à esquerda na rua Ribeirão Gustavo. A rua se torna Campinas - Patrimôno, que conecta a SC-108 na entrada de Massaranduba.

Por vias municipais

Pelas estradas Lauro Zimmermann, Bananal do Sul, e Eugênio Devilli, no interior de Guaramirim, é possível se conectar à rua Vandelino Kamer, que é lateral da SC-108.

Pela BR-101

Acesse a SC-415, em São João do Itaperiú, e siga até Massaranduba onde será possível acessar a SC-108.

Pela BR-101

Acesse a SC-407, em Itajaí, para seguir a SC-108 na altura de Blumenau.

Pela SC-110

É possível chegar a Blumenau a partir desta rodovia, passando por Pomerode.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?