Passando a atuar com nova nomenclatura, a ADR (Agência de Desenvolvimento Regional) de Jaraguá do Sul poderá redefinir a função de duas gerências. Até sexta-feira (22), o secretário Leonel Floriani irá avaliar as mudanças que farão parte da transição para o novo modelo estabelecido pelo governo do Estado. A flexibilização da estrutura administrativa é o ponto prático da reforma administrativa. Cada agência poderá vocacionar os departamentos conforme as peculiaridades de cada região, segundo o secretário. O alvo de Floriani são as gerencias de Assistência Social e Agricultura. “Essas duas poderiam ser objeto de modificação, estamos estudando. Na verdade temos a necessidade de uma gerência de planejamento para criar estratégias, já que o novo modelo fala em desenvolvimento”, comentou. As outras três gerências que completam o quadro da regional – Saúde, Educação e Administração – permanecem com as mesmas atribuições. O conceito que passa a ser promovido pelo governo é o foco em desenvolvimento no longo prazo. Floriani explica que a intermediação para as obras ficará de lado, pois os municípios têm condição de articular essas questões diretamente com as secretarias em Florianópolis. “Hoje, por exemplo, temos demanda para construção de escolas, mas em 2050 a pirâmide social se inverterá e vamos ter demanda com idosos, nosso planejamento será nesse sentido”, aponta. Na reforma, foram extintos 106 cargos comissionais e 136 funções gratificadas em toda Santa Catarina. Em Jaraguá do Sul, três cargos, que não eram preenchidos desde 2015, deixaram de fazer parte da estrutura administrativa. A regional conta com 60 funcionários e nove cargos políticos. O secretário destaca que a próxima medida será a profissionalização, com a realização de concurso público para preencher os cargos. As ADRs também terão chance de estabelecer o regimento interno para funcionamento dos Conselhos de Desenvolvimento Regional e dos Colegiados Regionais de Governo. “Iremos definir o que pensamos para a agência, o prazo é até sexta e depois teremos o decreto regulamentando as mudanças. Fora isso, continua tudo igual”, disse Floriani. Para este ano, o orçamento regional será de R$ 12,5 milhões para a estrutura e serviços de manutenção.