A fila de espera para consultas ginecológicas no Centro de Atenção à Mulher (CAM) em Jaraguá do Sul foi zerada no início desta semana. A informação é da enfermeira Santa Nogueira de Oliveira, coordenadora do serviço oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde.

De uma fila com mais de mil pacientes, segundo a coordenadora, a lista de espera passou para 28 pacientes, sendo que oito não foram encontrados, segundo dados da tarde desta quinta-feira (27). No entanto, parte desses pacientes já podem ter passado por um primeiro atendimento.

A coordenadora explica que alguns ajustes feitos desde o início do ano, e também no ano passado, permitiram esse resultado.

A equipe de médicos ginecologistas foi reforçada, com a contratação de uma nova profissional – aumentando para quatro o número de especialistas que fazem o atendimento clínica.

Além disso, a carga horária de outro médico foi inteiramente dedicada para a ginecologia. Antes, as consultas desse profissional se dividiam com as de obstetrícia.

Outra mudança foi a concentração dos atendimentos clínicos de ginecologia no Centro de Atenção à Mulher. A enfermeira conta que antes, a equipe se dividia atendendo em dois postos de saúde – oferecendo vagas aos bairros -, e apenas dois médicos faziam os demais atendimentos no CAM.

Agora, toda a equipe está concentrada no CAM. As mudanças resultaram no aumento de consultas ofertadas por mês, passando de uma média de 500 para mais de 600 vagas, dependendo do mês.

Para manter esses números e não aumentar a fila de espera, Santa informa que é importante conseguir manter o atual número de médicos da equipe.

Uma das preocupações é quanto à contratação recente da nova especialista, que foi chamada por processo seletivo, em que o contrato é por tempo determinado.

A diretora de Saúde Niura Demarchi, afirma que a Prefeitura já autorizou a contratação de um médico efetivo, a partir do concurso público que deve ser aberto no segundo semestre.

Falta às consultas prejudica fila de espera

Outro fator que pesa no tamanho das filas é o número de pacientes que faltam às consultas marcadas. O índice de absenteísmo neste ano no CAM já soma 332 faltas, desde 22 de janeiro, até a manhã desta quarta-feira (26).

Nesse período, foram realizados 1.699 atendimentos, mas poderiam ter sido mais caso as pacientes que faltaram à consulta tivessem avisado que não poderiam comparecer. Assim, a vaga poderia ser repassada para outra pessoa da fila.

O CAM atende somente a consultas eletivas, ou seja, que não são de urgência. Para esses casos, destaca a coordenadora, a paciente pode procurar diretamente o PAMA 2 (Pronto Atendimento Médico Ambulatorial), no bairro Barra do Rio Cerro.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

Telegram  

Facebook Messenger  

WhatsApp