Na apuração das eleições no 1° turno os estados do Sul e Sudeste divulgaram antes os resultados do que os demais estados do Brasil. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) explicou o motivo da apuração ser mais rápida nessas regiões.

Segundo o TSE essa situação se repete em todos os pleitos e causada por várias questões de logística na transmissão dos votos, a partir de cada uma das 27 unidades da Federação.

Outro fator é o volume grande de informações que são recebidas pelo TSE ao mesmo tempo, os votos do Norte do País acabam chegando a Brasília por último e, por isso, aguardam numa “fila” para serem processados.

Ainda de acordo com o TSE, a lentidão na transmissão dos dados das urnas eletrônicas para a totalização na votação também tem influência de outros fatores. No primeiro turno foi a quantidade de cargos a serem votados, que gerou mais tempo do eleitor na urna, o que não ocorre neste segundo turno por conta de ser apenas presidente e governador em alguns estados. Outro fator seria que em alguns locais a votação continua após às 17h, por conta de filas de eleitores que aguardam para votar.

Tem ainda a dificuldade de acesso aos locais de votação que ficam distantes de grande centros e acabam tendo limitação de infraestrutura de telecomunicação. De acordo com o TSE, isso acontece principalmente em regiões mais pobres nos estados das regiões Norte e Nordeste e em partes do Centro-Oeste.

Assim, os dados dos estados que lidam com alguma dificuldade de logística ou conexão acabam chegando ao TSE depois dos das regiões Sul e Sudeste, que conseguiram fazer a transmissão mais facilmente e ficam aguardando em um espécie de fila.

*Com informações do TSE