O repasse de pouco mais de meio milhão de reais da Prefeitura de Jaraguá do Sul ao Centro de Inovação do município gerou debate na sessão da Câmara de Vereadores na terça-feira (17).

A proposta do governo municipal pedia autorização legislativa para readequar o orçamento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio, Serviços e Turismo (Semdeicst), no valor de R$ 518,4 mil.

Os recursos serão utilizados para obras de adequação do espaço e aquisição e instalação de equipamentos, como ar condicionado, bebedouros, mobiliário e sistema de controle biométrico.

Também será feita a instalação de divisórias, adequação da rede elétrica, ampliação da área destinada às empresas e também da estrutura do estacionamento. Porém, o vereador Arlindo Rincos (PSD) questionou o repasse.

“Falaram que o Centro de Inovação seria autossuficiente, buscariam parceria com as empresas, iam e devem estar cobrando um valor desses pequenos empreendedores que usam a estrutura, e hoje estamos liberando mais meio milhão para o Centro de Inovação”, apontou o parlamentar.

O secretário de Desenvolvimento Econômico Domingos Zancanaro, explica que a incubadora deve se tornar autossustentável em um prazo de até três anos, conforme previsto no modelo de gestão aprovado.

A gestão é feita por uma Organização Social, selecionada por chamamento público, a Associação Centro de Inovação. No entanto, o prédio, muito amplo, precisa de adequações, como divisórias, para criar espaços individualizados para cada empreendimento, entre outras adaptações.

Por isso, a Prefeitura e a associação entraram em acordo na necessidade de investimentos do Município nessa adequação da estrutura, afirma Zancanaro.

Além das divisórias, as adequações também buscam diminuir custos operacionais – como películas nos vidros para diminuir a temperatura e, assim, o gasto de energia elétrica -, além de instalar uma infraestrutura mínima nos espaços que serão ocupados por empresas que ainda não tem condições de arcar com os custos de investimento.

Ele salienta que os recursos repassados à incubadora não são para o custeio do espaço, ou seja, para a manutenção das atividades, mas que são recursos de investimento.

Na Câmara, o líder de governo Pedro Garcia (MDB) reforça que esse investimento busca atrair empresas, gerar emprego e produzir tecnologia para a cidade.

O projeto autorizando o repasse foi aprovado, na sessão de terça-feira (17), em votação única. Agora, segue para o Executivo para sanção.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger