“Se esse projeto ajudar uma mulher, já terá valido a pena”, foi o que disse recentemente a vereadora Sirley Schappo (Novo) durante a votação do projeto de lei n° 65/2021, de autoria da vereadora Nina Santin Camello (Progressistas), que criou o Regime Especial de Contratação de Mulheres Vítimas de Violência Doméstica.

Na sessão desta quinta-feira (1°) na Câmara Municipal de Jaraguá do Sul, Nina informou que o Regime Especial já deu resultado em menos de dois meses de vigência. Segundo informações do Sine (Sistema Nacional de Emprego) e do Cras (Centro de Referência da Assistência Social), duas mulheres vítimas de violência já conseguiram ser empregadas por meio do programa.

O programa destina 10% das entrevistas de emprego disponibilizadas pelo Sine de Jaraguá do Sul para mulheres que estão em relacionamentos abusivos. O objetivo é dar autonomia financeira à elas e possibilitar o rompimento do vínculo com o agressor, que em grande parte dos casos exerce dependência econômica sobre as vítimas.

Para Nina, essas mulheres não vão mais virar apenas uma estatística perversa. Ela afirma que a procura pelo cadastramento no Regime Especial está tendo adesão, mas advertiu que ainda é preciso muito mais empenho para um melhor resultado dessas políticas públicas.

Por conta disso, Nina relata que ela e a vereadora Sirley estiveram em reunião com assistentes sociais do município para debater o projeto Por Elas, uma iniciativa da Polícia Civil e do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), que pretende qualificar as mulheres vítimas de violência através de cursos gratuitos oferecidos pela instituição de ensino, possibilitando ainda mais a autonomia financeira delas.

Foto: Divulgação/CMJS

O projeto ainda prevê que agentes da Polícia Civil capacitem alunos, professores e comunidade escolar do Senac para identificar os episódios de violência contra a mulher e orientar a todos sobre o enfrentamento a este tipo de situação.

Segundo Nina, este projeto também está sendo apresentado aos demais municípios da região do Vale do Itapocu.