O Diretório Estadual do Psol aprovou neste fim de semana, uma coligação com o PCB (Partido Comunista Brasileiro) para as eleições de 2018. O encontro ocorreu em Florianópolis, no auditório do Sindsaúde. O jornalista Leonel Camasão, 31 anos, já indicado para disputar o governo, em março, será acompanhado pela socióloga Caroline Bellaguarda, 33, do PCB, como candidata a vice. Ao Senado, o partido indicou dois professores: Antônio Campos, de Chapecó, e Pedro Cabral, de Florianópolis.

“Desde a sua fundação, o PSOL tem em seu programa a defesa da luta dos trabalhadores, da juventude, dos negros e negras, das mulheres, dos LGBTs e de todos os oprimidos e explorados. O que conquistamos com essa chapa é deixar de ser apenas o partido que defende essas causas para ser o partido em que representantes legítimos dessas causas serão nossos candidatos majoritários”, avaliou Camasão.

Além dos majoritários, a aliança contará com pelo menos 20 candidatos a deputado federal e 22 a estadual. Até o início de agosto, o objetivo é ampliar o número de candidaturas proporcionais. O encontro reuniu ainda pré-candidatos e organizações aliadas do PSOL e do PCB, como as Brigadas Populares e a Iniciativa Comunista Brasileira.

Pré-candidatos

Leonel Camasão (Psol), pré-candidato a governador. Mestre em Jornalismo pela UFSC, Camasão iniciou sua vida política ainda no movimento estudantil. Foi integrante do Movimento Passe Livre, da Associação LGBT Arco-Íris e, atualmente, é diretor no Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina. Aos 31 anos, é filiado ao Psol há 10, partido do qual já foi presidente estadual. Concorreu à Prefeitura de Joinville, em 2012

Caroline Bellaguarda (PCB), pré-candidata à vice-governadora. Formada em Ciências Sociais pela UFSC, Bellaguarda tem 33 anos. É integrante do Comitê Central do Partido Comunista Brasileiro e do Coletivo Feminista Ana Montenegro. Já foi secretária-geral do PCB-SC (equivalente à presidenta) e disputou duas eleições: 2012, como vereadora, e 2014, como deputada federal.

Pedro Cabral (Psol), pré-candidato a senador. Pedro Cabral, 57 anos, será outro concorrente ao Senado. Militante da educação, negro e homossexual, é servidor aposentado da rede municipal de Florianópolis, onde lecionava educação artística. Foi eleito pela comunidade seis vezes como diretor da Escola Básica Beatriz Souza Brito, no bairro Pantanal, em Florianópolis. É doutor em educação pela USP e suplente de vereador do PSOL na capital, onde obteve 1.905 votos.

Professor Antônio (Psol), pré-candidato a senador. Formado em Direito e Biologia, o professor Antônio Valmor de Campos será um dos candidatos ao Senado pela coligação PSOL-PCB. Mestre em Educação pela Unisinos, Antônio foi vereador em Maravilha (2001-2004) e coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte-SC), maior sindicato do Estado. Atualmente, é professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em Chapecó.