Deputado estadual pelo PSDB, Vicente Caropreso é cotado como novo presidente da sigla | Foto Eduardo Montecino/OCP News
Deputado estadual pelo PSDB, Vicente Caropreso é cotado como novo presidente da sigla | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Colaborou Leonardo Koch

 

Entre os partidos com representação na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, o PSDB abre o calendário do ano das convenções municipais, que elegem diretório e executiva das legendas.

Ainda no primeiro semestre, quem também faz a eleição dos dirigentes partidários é o PSD. O PP e o MDB ficam para a segunda metade do ano, e o PTB já realizou a convenção municipal no ano passado, com a eleição de Marcelindo Gruner para mandato de três anos.

A eleição de novo presidente e demais membros do diretório e executiva do PSDB acontece no dia 29 de março, entre as 18h e 21 horas, em uma sala alugada pela sigla, na rua Epitácio Pessoa, 532, Centro.

Atualmente, o PSDB é presidido por Lio Tironi, mas o presidente já manifestou que deve deixar o comando da sigla e que a conversa sobre a sucessão vem sendo encabeçada pelo deputado estadual Vicente Caropreso.

Hoje há entre quatro e cinco nomes apontados como possíveis novos dirigentes da sigla no município, com mandato de dois anos. No entanto, a intenção é montar uma chapa única, para ser aprovada por consenso.

O próprio deputado é uma das possibilidades, considerado como uma das principais lideranças tucanas no município. O martelo deve ser batido na próxima segunda-feira (18), em reunião da sigla.

Próximo presidente do PSD terá desafio

Depois do PSDB, o próximo partido com cadeira na Câmara Municipal a fazer a convenção é o PSD, em maio, em data que ainda será definida. O atual presidente, Jair Pedri, diz que não tem intenção de ser reconduzido ao cargo, para ter tempo de trabalhar em seu próprio projeto para a eleição de 2020.

Pedri deve se lançar candidato a vereador, em uma aliança na majoritária com o PSD apoiando a reeleição de Antídio Lunelli (MDB) à prefeitura de Jaraguá do Sul. “Mas nunca impus uma candidatura minha, eu sempre estou à disposição do partido”, diz ele, que também não deseja sair da sigla.

Jair Pedri, presidente do PSD | Foto Arquivo OCP News

Para a sucessão no comando do partido, o presidente diz que tem trabalhado, junto com outros membros da sigla, para que Alcides Pavanello assuma o cargo. A principal dificuldade, aponta o presidente, seria quanto à disponibilidade de tempo devido aos compromissos do empresário.

Enquanto outros nomes também são levantados, Pedri destaca que o próximo presidente terá um grande desafio. Com a proibição das coligações para a eleição proporcional, a nova presidência terá “correr atrás” para montar uma nominata de 16 candidatos a vereador e vereadora.

PP pode manter Izidoro

Em julho é a vez do PP fazer a escolha do diretório e da executiva municipal, no dia 28. À frente da sigla, Ademir Izidoro (PP) diz que está analisando a possibilidade de continuar no comando do partido, cujo mandato é de dois anos.

Ademir Izidoro, presidente do PP | Foto Eduardo Montecino/OCP News

O presidente conta que está recebendo amplo apoio para que continue como presidente, mas considera que ainda é muito cedo para definir.

A resposta deve ficar para daqui dois meses, ele afirma. Caso não seja reconduzido, outros nomes estão na disputa, entre eles o do ex-prefeito de Jaraguá do Sul, Dieter Janssen.

MDB faz escolha em outubro

O MDB é o último dos partidos com representação na Câmara a fazer a convenção neste ano, em outubro. No momento, afirma a atual presidente Natália Petry, o partido está organizando a primeira reunião mensal da sigla, aberta ao público.

Natália Lúcia Petry, presidente do MDB | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Com coordenação da Fundação Ulysses Guimarães - presidida pelo deputado federal Carlos Chiodini (MDB) -, o primeiro encontro do ano será na Católica de Santa Catarina em Jaraguá do Sul, no dia 28 de março. “Será um debate aberto sobre o desarmamento”, informa Natália.

Eleição 2020

Sobre as próximas eleições municipais, em 2020, as presidências do PP, PSD e MDB dizem que é cedo para fazer afirmações, já que as decisões sobre candidaturas e alianças ficam para o período das convenções partidárias. “E mesmo assim as coisas acabam mudando”, lembra Natália Petry.

No PP, Izidoro diz que o partido tem hoje 1,2 mil filiados e que contaria com 16 pré-candidatos definidos, aptos a se elegerem, mas não adiantou nomes. No PSD, Pedri diz que a legenda busca novas lideranças e mantém a intenção de participar da disputa apoiando Antídio Lunelli, do MDB.

Já o PSDB deve aguardar a convenção da executiva nacional, já que existe a possibilidade de grandes mudanças na legenda. A fusão do partido com siglas menores, que poderiam ser afetadas com a proibição das coligações, e a continuidade do PSDB como existe hoje estão sendo discutidas.

Por isso, na executiva municipal, o partido não adianta os planos e propósitos para a eleição do ano que vem, que poderiam mudar após a convenção da executiva nacional.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?