O Plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) aprovou, na sessão da tarde de quarta-feira (18), uma moção do deputado Jessé Lopes (PL) que manifesta repúdio ao Ministério da Educação e à UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) pela realização de um evento sobre ideologia de gênero no Centro de Ciências Biológicas da universidade federal, em Florianópolis.

O parlamentar foi enfático em suas críticas. Segundo ele, a promoção deste tipo de cultura vai na contramão da ciência.

“Novidade zero a UFSC promovendo 'viadagem' (sic) dentro do campus. Só que a audácia está em tratar ideologia de gênero dentro do Centro de Ciências Biológicas. Vão numa aula de ciências para dizer que a ciência não existe”, disse. “E nós pagando imposto para isso. É lamentável que isso aconteça dentro de uma universidade”, finaliza.

A revolta do deputado tem origem em um cine-debate promovido pelo projeto de extensão Miolhe, vinculado ao Programa de Educação Tutorial (PET) de biologia da UFSC. Durante o evento, foi exibido o curta-metragem “Still me”, seguido de um debate sobre as questões levantadas. O curta aborda a história da personagem que aceita a própria identidade e se assume na escola.

Segundo o PET Biologia/UFSC, o cine-debate tem por objetivo promover discussões sobre temas contemporâneos considerados de grande importância.

A manifestação de Jessé recebeu o apoio dos deputados Sargento Lima (PL), Ana Campagnolo (PL), Jair Miotto (União), Sérgio Motta (Republicanos), Valdir Cobalchini (MDB) e Luiz Fernando Vampiro (MDB).