Nesta terça-feira (15), um projeto de lei (PL) que tratava sobre a alteração do nome de uma escola estadual em Blumenau virou motivo de polêmica entre deputados estaduais, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

O PL 236/2020, de autoria do deputado Ricardo Alba (PSL), propunha que a unidade da rede estadual de ensino localizada no bairro Itoupavazinha, construída pelo Governo do Estado, mas ainda não inaugurada, recebesse o nome da professora Ilse Karsten.

No entanto, o deputado Ismael dos Santos (PSD) lembrou que em 2017, a própria Assembleia aprovou projeto do então deputado Leonel Pavan (PSDB), que deu ao prédio o nome do ex-senador Evelásio Vieira.

 

“É uma aberração. Esta Casa aprovou em 2017 o nome da escola que ainda não foi inaugurada, que está há dois anos parada. Falta apenas um muro para inaugurar”, comentou Ismael. “Não é possível brincar de trocar nome de escola. É algo absurdo e deselegante”, completou o deputado, que destacou que a Comissão de Educação, Cultura e Desporto já havia dado parecer contrário ao PL de Ricardo Alba.

 

O autor do projeto rebateu. Alba afirmou que a escola já tinha o nome de Ilse Karsten desde 1992. A unidade, no entanto, será transferida para o prédio que já deveria estar em funcionamento desde 2014, porém ainda não foi inaugurado.

 

“Recebi um abaixo-assinado de toda a comunidade escolar, com mais de 30 páginas pela manutenção do nome”, disse Alba. “O secretário da Educação concorda com a manutenção do nome. E não se trata de uma ofensa, a comunidade quer apenas a manutenção do nome”.

 

Ismael defendeu a rejeição do PL de Alba, por entender que o novo prédio vai abrigar uma nova escola. Ivan Naatz (PL), que também é de Blumenau, afirmou que a escola com o nome de Ilse Karsten fica distante aproximadamente um quilômetro do prédio que abrigará o estabelecimento com o nome do ex-senador. “É uma escola nova. A escola antiga fica com o nome antigo, mas não se sabe o que vai se fazer [com a escola antiga]”, completou Naatz.

Após as falas, o projeto de lei foi rejeitado por 8 votos a favor, 20 contrários e seis abstenções.

*Com informações da Agência AL

Receba as notícias do OCP no seu WhatsApp: