O presidente da França, Emmanuel Macron, foi agredido com um tapa nesta terça-feira (8). O político francês estava em uma viagem oficial ao sul da França quando foi agredido. Ao menos duas pessoas foram detidas, segundo as autoridades policiais. As informações são da Reuters e do portal G1.

Emissoras de rádio e TV da região de Drôme, próxima a Lyon, divulgaram imagens do momento em que o presidente se aproxima de um cercado que o separa da população e recebe um tapa. O vídeo abaixo foi divulgado pelo jornal inglês The Guardian.

Macron estava cumprimentando um homem quando este gritou "A bas la Macronie" (abaixo a Macronia, em referência ao governo de Macron) e lhe desferiu um tapa no rosto. Agentes de segurança rapidamente intervêm, tiram Macron do cercado e apreendem o agressor.

Imagens de redes locais mostram que o presidente, do partido Social-Liberal Association pour le renouvellement de la vie politique, vulgo Em Marcha, ainda continuou na área e chegou a falar, de longe, com apoiadores.

A identidade do agressor, do segundo detido, e a motivação para o ataque ainda não foram divulgadas. Segundo a agência de notícias Reuters, antes de desferir o tapa, o agressor grita também "Montjoie Saint Denis", uma espécie de grito de guerra do exército francês usado durante a monarquia.

A visita ao sul da França visava se encontrar com donos de restaurantes e falar sobre o relaxamento das normas sanitárias e a volta à normalidade com o controle da pandemia de Covid-19 no país.

O primeiro-ministro Francês, Jean Castex, comentou a agressão ao chefe de Estado na sessão desta terça da Assembleia Nacional. "Isso mostra simplesmente que a democracia é um alvo", disse Castex aos parlamentares. "A democracia é o debate, o diálogo, o confronto de ideias de desacordos, mas nunca pode virar violência."