O presidente da Câmara de Vereadores de Florianópolis, Guilherme Pereira (MDB), usou a tribuna da Casa nesta quarta-feira (04) para anunciar o seu afastamento do cargo por, no mínimo, 30 dias. Candidato a deputado federal, o vereador admitiu que não consegue ocupar o cargo e fazer a campanha e decidiu pelo afastamento.

Tecnicamente, Gui Pereira vai esperar pela homologação de sua candidatura, que acontecerá na convenção do MDB, dia 4 de agosto, para decidir se volta a ocupar o cargo de presidente ou se estende o seu afastamento até a eleição em 3 de outubro. “Não estava conseguindo conciliar as duas funções e decidi pela saída”, disse Pereira.

Alinhado com o prefeito Gean Loureiro (MDB), Gui Pereira teve uma gestão marcada pela sua ausência das sessões (em 2017 foi que mais faltou) e por sessões polêmicas, como a que aprovou o pacote administrativo, a que mudou no status administrativo da Comcap e, mais recentemente, a que aprovou o projeto das OS para gestão de saúde e educação em Florianópolis.

Vereador Roberto Katumi (PSD) assume a presidência da Câmara de Florianópolis | Foto Édio Hélio Ramos | Divulgação | CMF

Gui Pereira também marcou sua passagem de pouco mais de 1 ano e meio à frente da Câmara com a devolução para o Executivo de cerca de R$ 6,7 milhões dos recursos repassados pela prefeitura para a gestão da Câmara. Foi o maior valor devolvido ao Executivo na história do Legislativo.

O vereador Roberto Katumi (PSD), 1º vice-presidente, assume a presidência da Casa e o vereador Maicon Oliveira (MDB), ocupa a vaga de Gui Pereira no parlamento municipal.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?