Por Patricia Moraes  Para o presidente da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs), Giuliano Donini, o momento exige cautela em qualquer reflexão quanto às consequências dos novos fatos que surgiram em Brasília sobre o envolvimento direto do presidente, Michel Temer (PMDB), e do senador Aécio Neves (PSDB) com diretores da JBS. O líder empresarial disse que embora nenhum fato novo que tenha relação com denúncias de corrupção no país seja capaz de causar surpresa, diante de tantas suspeitas ou mesmo de situações já apuradas, a menção direta ao nome de Temer ocasiona perplexidade e preocupação porque os fatos teriam ocorrido em março quando, na opinião de Donini, a sociedade tinha percepção de que o país avançava no esclarecimento dos aspectos mais graves que implicaram nos trabalhos da operação Lava Jato. A preocupação com a economia, que começava a dar sinais de recuperação, agrava ainda mais o quadro. “Com este fato novo é natural que o mercado continue marcado por incertezas, e o que tínhamos como um retomada da confiança na estabilidade econômica poderá depender muito das ações para que tudo seja esclarecido. Mais uma vez precisamos de maturidade e prudência em qualquer avaliação, é necessário que se enfrente esta turbulência e se busque o equilíbrio, ajustando as questões de mercado de maneira a não comprometer os sinais positivos que vinham se apresentando. Independente de qualquer contexto, não podemos desconsiderar que as reformas em discussão são absolutamente necessárias e urgentes para a plena retomada da economia e para levar o Brasil ao desenvolvimento social”, disse. Leia mais: Em pronunciamento, Temer garante que não vai renunciar Leia mais: Cresce poder da ministra Cármen Lúcia: terceira na linha sucessória, ela tem a lista em suas mãos O empresário destacou outro ponto importante a ser esclarecido: a informação que circulou dando conta que a JBS teria realizado operações financeiras para tirar proveito do câmbio comprando dólares. “Se realmente isto aconteceu se trata de uma atitude inadmissível, um comportamento preocupante no momento em que a sociedade cobra dos políticos princípios éticos e de responsabilidade com o país, e se torna refém de empresas que se utilizam do tráfico de influências para manipular o mercado. Sendo um fato comprovado, é preciso uma ação enérgica para coibir este vício”, defende Donini. Para o presidente da entidade empresarial, nesse cenário conturbado, é importante louvar a agilidade do Judiciário, com medidas visando dar transparência às investigações, como o afastamento dos parlamentares envolvidos com as denúncias, suspendendo seus mandatos na Câmara Federal e no Senado.  “As instituições devem demonstrar capacidade de discernimento para que este período crítico seja superado e não implique em prejuízos à imagem do país e na definição de uma agenda positiva para a sua estabilidade política e econômica”, afirma Giuliano Donini, que reforça ainda que o momento pelo qual o Brasil passa exige como nunca que se leve em conta muito mais do que bandeiras partidárias ou crenças ideológicas, que se valorize as atitudes que demonstrem valor de caráter, de compromisso com a sociedade e que valorizem o senso de justiça, o esforço e a meritocracia pelo trabalho. Leia mais notícias de Jaraguá do Sul e região no OCP Online