Foto Eduardo Montecino/OCP News

Foto Eduardo Montecino/OCP News

A Prefeitura de Jaraguá do Sul voltou a notificar a Celesc pelos fios abandonados ou sem manutenção nos postes do município. A central detêm o contrato com as empresas de telefonia e é responsável por fiscalizar e cobrar pelo serviço de conserto da fiação.

Segundo o secretário de Planejamento e Urbanismo, Eduardo Bertoldi, o Município tinha firmado uma parceria com a Celesc para que ela intensificasse o trabalho de fiscalização.

"As empresas eram avisadas sobre os trechos que precisavam ser arrumados e caso isso não acontecesse, a Celesc cortava os cabos que não estavam sendo utilizados", explica Bertoldi.

O secretário enfatiza que no início a operação trouxe resultados, mas posteriormente foi verificado um "certo abandono" em relação a ação. A Prefeitura passou a receber inúmeras denúncias na Ouvidoria sobre situação da rede de fios.

"Como o serviço não estava sendo prestado como foi acordado e a situação vinha prejudicando os moradores, voltamos a fiscalizar e notificar a Celesc", comenta.

De acordo com Bertoldi, na semana passada mais de 70 notificações foram enviadas para a empresa. As indicações foram enviadas pela Ouvidoria ou pelos fiscais da Prefeitura. A Celesc tem um prazo para fazer a manutenção antes de ser efetivamente multada.

Celesc reforça quadro de funcionários

Em outubro, a Celesc recebeu sete novos profissionais em fase de treinamento para atuar tanto no setor elétrico quanto na manutenção dos fios na cidade. Junto dos eletricistas, a unidade regional também passou a contar com dois novos veículos.

O gerente regional da Celesc, Wagner Vogel, explica que a empresa está fazendo a retirada dos fios quando identifica que eles oferecem riscos à população e quando é notificada pela Prefeitura.

"Além disso, temos um grupo no WhatsApp com todas as companhias telefônicas. Quando percebemos alguma inconsistência de uma delas pedimos que seja feita a retirada do cabo o mais rápido possível", aponta Vogel.

As ações têm sido feitas diariamente. O gerente avalia que após a força-tarefa realizada neste ano, a Celesc está mais próxima das empresas. "Às vezes, acabávamos tirando cabos que ainda estavam ativos por conta dessa falta de comunicação", relata.

Vogel acredita que ainda falta um trabalho preventivo das companhias telefônicas para que os cabos não caiam e fiquem soltos pelas ruas. Hoje, a atuação da Celesc é corretiva.

O gerente observa que as empresas não passam frequentemente pelos locais para retirar os fios ociosos, o que seria o correto. "Com a fiscalização maior e o corte de cabos eles tendem a fazer essa manutenção com mais frequência", garante.

O gerente da Celesc ainda considera que o emaranhado de fios na região central da cidade diminuiu, mas nos bairros, onde a força-tarefa acabou não atuando, as ocorrências ainda são grandes.

"O mercado de telefonia avançou muito rápido e com regras que ainda estão sendo criadas, então acaba tendo esse descontrole da infraestrutura. Quem sofre com isso são os consumidores", destaca.

Segundo ele, Jaraguá do Sul conta com 13 empresas de telefonia regularizadas, além das clandestinas que dificultam a atuação da Celesc.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?