A partir do dia 30 de setembro, a Prefeitura de Corupá vai adotar horário especial de trabalho, em turno único contínuo de seis horas diárias. A medida, oficializada pelo Decreto 1753/19 e publicada no Diário Oficial dos Municípios, vai valer até o dia 31 de dezembro de 2019. O horário de atendimento à população será de segunda-feira a sexta-feira das 7h às 13h. As áreas de saúde, educação e abastecimento não adotarão o turno único.

De acordo com o prefeito de Corupá João Carlos Gottardi (PSD), entre os motivos da redução de horas têm relação com as ações trabalhistas contra a Prefeitura. As ações foram movidas desde 2017, mas são referentes à gestão do ex-prefeito Luís Carlos Tamanini (MDB) que governou o município por mandatos consecutivos. O total de valores de indenizações que a Prefeitura terá de pagar pode chegar a R$ 4 milhões.

"Nós já pagamos em torno de R$ 600 mil dessas ações, e claro que isso reflete no dia a dia da administração municipal", destaca Gottardi.

O prefeito relata ainda que a redução de horas também tem relação com os repasses do Estadual e União, pois, segundo ele, os governos das duas esferas não repassaram recursos suficientes para Corupá.

Gottardi diz que não existe uma projeção de quanto a Prefeitura deve economizar com a redução de horas, mas destaca que será feito um balanço ao longo dos dias. Ele utiliza a Secretaria de Obras como exemplo de economia.

"O pessoal só vai precisar fazer uma viagem com o maquinário e não ir e voltar de manhã e a tarde, quando se gastava muito mais óleo e com manutenções. Trabalhando seis horas é o mesmo que trabalhar oito horas para a Secretaria de Obras", analisa.

No entanto, o prefeito diz que outras áreas devem ser afetadas, mas nada que resulte em uma perda muito na qualidade dos serviços.

Confira as áreas que ficarão de fora do turno único:

  • Todas as atividades de educação e ensino nas Escolas Municipais e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs);
  • Atendimentos nos Postos de Saúde, Clínica de Fisioterapia e Núcleo de Atendimento à Saúde da Família (NASF);
  • Aulas de modalidade esportiva realizadas no Ginásio de Esportes Municipal Willy Germano Gessner;
  • Serviços realizados pela Autarquia Águas de Corupá;
  • Motoristas e servidores da Secretaria Municipal de Saúde que estiverem de plantão ou de sobreaviso;
  • Motoristas da Secretaria Municipal de Educação e Cultura que realizam o transporte de alunos.
  • Ficam suspensos os programas Porteira Adentro e Corupá em Ação.

Veja também:

Prefeitura de Corupá pode ter que pagar cerca de R$ 4 milhões em ações trabalhistas

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger