A assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral confirmou no fim da tarde desta sexta-feira que já foram enviados os ofícios ao juiz eleitoral da região para que proceda com as decisões previstas nos acórdãos 31328 e 31373 e determine o afastamento do prefeito e vice de Massaranduba, Mario Fernando Reinke (PSDB) e Armindo Sesar Tassi (PMDB). Reinke e Tassi foram condenados por distribuição irregular de macadame, em 2012, o que foi considerado como compra de votos. Segundo a juíza da 60ª Zona Eleitoral Fabíola Duncka Geiser, que avaliou o caso em primeira instância, ficou comprovada que a distribuição gratuita do macadame foi feita a pessoas não ligadas à agricultura ou, ainda, a pessoas que solicitaram o material durante reuniões de campanha. Na decisão, confirmada pelo TRE, o entendimento é que o programa foi desvirtuado e ficou demonstrado claramente o objetivo eleitoreiro das ações. A tentativa de obter votos com a distribuição do material foi tamanha, segundo informações contidas no processo, que o número de cargas entregues em abril de 2011, período em que os agricultores pagavam taxa para obter o pavimento, saltou de sete para 211 no mesmo mês de 2012, ano eleitoral. Para o TRE, os fatos apontam claramente abuso de poder político e econômico, "desequilibrando a eleição". À coluna, o prefeito Mario Fernando Reinke disse que ficou sabendo da decisão nesta sexta-feira (19) e que seus advogados já prepararam recurso que deve ser apresentado nos próximos dias ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O objetivo da defesa é que Reinke e Tassi possam continuar no cargo enquanto o processo não transitar em julgado. “Temos que respeitar a decisão da Justiça, mas estou tranquilo. Se for para ser afastado por entregar macadame a agricultores, saio de cabeça erguida”, disse.