O deputado do PSD João Rodrigues foi preso na manhã desta quinta-feira (8) no aeroporto internacional de Guarulhos. A prisão aconteceu no momento em que o deputado desembarcava de um voo vindo do Paraguai. O parlamentar deve ser transferido para uma cadeia de Brasília ainda nesta quinta. A prisão ocorreu dois dias após a Primeira Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) ter decidido por sua prisão imediata. O portal UOL informou que a Polícia Federal descobriu que o deputado se encontrava no exterior e havia modificado seu bilhete de passagem, alterando o destino final do Brasil para o Paraguai. O prazo dado para execução da pena prescreveria na próxima segunda-feira (12) e com receio de que isso ocorresse, o fato foi comunicado ao ministro Alexandre de Moraes, presidente da Primeira Turma do STF, que autorizou a inclusão em difusão vermelha no banco de dados da Interpol. "Com base nisso, o deputado João Rodrigues foi impedido de entrar no Paraguai, tendo sido embarcado em voo rumo a Guarulhos, onde foi preso", disse a PF em nota. Entenda o caso O parlamentar havia sido condenado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) a cinco anos e três meses de prisão em regime semiaberto. O motivo foi crimes da Lei de Responsabilidade Fiscal e da Lei de Licitações enquanto era prefeito do município de Pinhalzinho. A defesa do deputado nega as irregularidades atribuídas a ele pelo MPF (Ministério Público Federal). Ele aguardava a ordem de execução de sua pena em liberdade por meio de recursos judiciais. Em dezembro de 2017, a PGR (Procuradoria-Geral da República) pediu que a pena de Rodrigues fosse executada imediatamente sob risco de prescrição. João Rodrigues ficou conhecido nacionalmente em 2015 ao ser flagrado assistindo a vídeos pornô em seu telefone celular no plenário da Câmara dos Deputados.
Deputado foi flagrado assistindo a pornografia durante a sessão, em 2015 | Foto SBT Brasília
Veja a nota emitida pela assessoria do deputado federal João Rodrigues “Deputado federal João Rodrigues (PSD) embarcou em Orlando (EUA) na manhã desta quarta-feira (7) com destino a Assunção (Paraguai), de onde faria o trajeto até Chapecó de carro para que na sexta-feira (9) onde se apresentaria à Polícia Federal, como tinha antecipado aos meios de comunicação. Chegando ao Paraguai, no aeroporto, foi abordado por policiais federais, automaticamente feito o comunicado, se entregou. Está indo na manhã desta quinta (8) a São Paulo e depois Brasília, aonde acompanhado de seu advogado, vai cumprir o que determina a Lei. Voltou a dizer que acredita na Justiça e que seus advogados vão reverter essa situação. Primeira na discussão da prescrição do processo e segundo, com todos os argumentos possíveis, em mais um recurso, para reverter processo que determina a prisão não é transitado e julgado. O deputado afirma que se sente magoado em razão de uma condenação extremamente injusta, mas ao mesmo tempo está aliviado. “Há 20 anos sofro com esse processo. Esperava que o desfecho fosse outro, mas infelizmente por razões que não entendo, vou cumprir a pena, aguardando uma modificação nesta determinação judicial”. *Com informações de Windson Prado do Jornal de Joinville e Nathan Lopes do portal UOL