O presidente da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, Pedro Garcia (PMDB), fala sobre a tramitação de dois Projetos de Lei Complementar que alteram a cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). O peemedebista acredita na aprovação das propostas, mas diz que a necessidade de emendas ainda será avaliada. Confira entrevista à coluna Plenário: Presidente, qual a previsão para a votação do projeto que atualiza a planta de valores? O texto foi lido ontem (terça-feira, 31), ainda vai passar pelo jurídico e comissões. E por ser Projeto de Lei Complementar não pode ser votado antes de 15 dias, porque precisa ter ampla publicidade. Mas a previsão é que seja votado ainda em novembro. Mas há clima favorável à proposta? Provavelmente passa, mas vamos fazer cálculos primeiro. É um tema que gera polêmica, debate. Vamos chamar os técnicos que fizeram a atualização da planta genérica para conversar com todos os vereadores. Também vamos analisar a necessidade de apresentar emenda como fizemos com a Cosip. O positivo foi que a Prefeitura não fez só a atualização, ela baixou as alíquotas para não onerar demais o contribuinte. Daqui até o fim do ano, qual a pauta principal do Legislativo? São 14 sessões. Temos que fazer duas exclusivas para o Lei Orçamentária. Uma exclusiva para segunda votação do PPA. Outra para eleição da presidência da Câmara. De projetos temos a atualização da planta de valores e a Cosip de maior relevância. Está tudo encaminhado para eleição de Anderson Kassner à presidência? Encaminhado eu não diria, mas há conversas nesse sentido. Você que acompanha sabe bem que essas decisões podem mudar 15 minutos antes da sessão. Mas eu diria que está mais bem encaminhado do que nos outros anos. Sobre o abono natalino aos servidores, já existe previsão? Está em estudo ainda. No ano passado, os servidores ganharam R$ 850, penso que em função da crise, R$ 650 seria um valor justo. Economizamos bastante esse ano porque todos fizeram a sua parte. Dos R$ 20 milhões que teríamos direto no Orçamento, vamos utilizar R$ 9,5 milhões. A Câmara de Jaraguá é referência.