As distorções apontadas pela Prefeitura de Jaraguá do Sul em longas reuniões com representantes do governo do Estado foram corrigidas e o município terá uma fatia maior no bolo do ICMS em 2018 na comparação com a estimativa divulgada em junho pela Secretaria da Fazenda do Estado. De 2,67%, a fatia passou para 2,79%, o que, segundo cálculos preliminares do secretário da Administração Argos Burgardt, deve representar algo em torno de R$ 5 milhões a mais no caixa. Até novembro, o imposto representou R$ 136 milhões à Prefeitura, sendo a maior fonte de receitas do município. Apesar de ser uma notícia comemorada, a preocupação com as sequentes quedas no índice ainda é grande - de 2015 para 2016, por exemplo, houve uma redução de 9,7%. A crise econômica atingiu em especial o setor industrial, uma das maiores causas para o resultado. Este ano, Jaraguá do Sul teve direito a 3,07% do ICMS dividido entre os municípios. Ações integradas entre as pastas de Administração, Fazenda e Desenvolvimento Econômico estão sendo tomadas para auxiliar na retomada econômica. Paralelamente, o governo ainda avalia a possibilidade de tentar recuperar judicialmente possíveis perdas de anos anteriores, que teriam sido ocasionadas pelos mesmos problemas de cálculos agora corrigidos para o rateio de 2018. Caropreso passa bem “Na cama do hospital já assinei uns 50 a 60 documentos”. Foi assim que Vicente Caropreso (PSDB) respondeu quando perguntado ontem se já estava de volta aos trabalhos. O diagnóstico médico é que as frequentes viagens prejudicaram a circulação do tucano causando um inchaço excessivo nas pernas. O jaraguaense diz que foi vítima de um estilo de vida frenético, exigência da atuação na Secretaria de Saúde, da qual milhares de pessoas dependem. A briga por recursos dentro do próprio governo também tem causado dor de cabeça ao tucano. Caropreso passou mal quando retornava de Brasília, onde tratava de mudanças no atendimento na saúde mental e buscava garantir a porta de entrada de pediatria ao Hospital Jaraguá, o que representará à unidade R$ 200 mil a mais ao mês. “Só falta a assinatura do ministro”, explica. Líder 100%
Líder de governo na Câmara, o vereador Marcelindo Gruner (PTB) | Foto Eduardo Montecino/OCP
O ano fechou com chave de ouro para o líder de governo na Câmara, o vereador Marcelindo Gruner (PTB). Com 100% dos projetos do Executivo aprovados, inclusive textos que geraram polêmica e pressão na base aliada, como o pacote de cortes ao funcionalismo e o que promoveu uma revisão na planta genérica dos imóveis, Gruner teve o passe valorizado dentro da administração Municipalização da BR-280 O suplente Charles Salvador (DEM) é autor de indicação para que a Prefeitura inicie os trâmites para municipalização de um trecho da BR-280 do fim da rua Presidente Epitácio Pessoa até a rotatória de acesso ao condomínio Dante Menel, no bairro Nereu Ramos, abrangendo ainda os bairros Água Verde, Rau e Estrada Nova. O parlamentar reconhece a situação financeira difícil da administração, mas alerta que nesse trecho da rodovia é preciso realizar adequações como ciclovias, rotatórias, redutores de velocidade, passarelas e iluminação. Retomada da reciclagem Os vereadores Anderson Kassner (PP), Arlindo Rincos (PSD), Charles Salvador (DEM) e Ronaldo Magal (PSD) intermediaram uma reunião entre representantes do Samae e da Cooperativa dos Recicladores Jaraguaenses nesta sexta-feira (15). O objetivo da reunião, convocada por Kassner, foi alinhar ações do Samae, que em 2018 será responsável pela gestão do lixo. Uma das preocupações é quanto à queda no índice do lixo reciclado recolhido, o que compromete o trabalho dos recicladores legalizados. Presidente do Samae, Ademir Izidoro, garantiu que o famoso saco verde, instituído na gestão de Dieter Janssen, será retomado. Outro foco será nas ações educativas de conscientização. Recursos aos hospitais A Câmara de Vereadores aprovou projeto do Executivo que autoriza a Prefeitura a repassar recursos para os hospitais da cidade para custear despesas com a manutenção de suas atividades.  São R$ 8,2 milhões para o Hospital São José e R$ 7,2 milhões para o Jaraguá. Em Foco - Ao falar sobre o primeiro ano de mandato, o prefeito Antídio Lunelli (PMDB) tem ressaltado a importância de Argos Burgardt para o governo. “Sem ele, a situação seria muito complicada”. Quem indicou Burgardt para Secretaria de Administração foi o deputado federal Mauro Mariani (PMDB). - Osvaldo Jurck foi a Florianópolis esta semana definir novos rumos partidários. Pode anunciar nas próximas semanas sua saída do PSDB para o PSD. O convite é do deputado Gelson Merisio. - A bancada catarinense no Congresso comemora o salto de R$ 30 milhões para R$ 90 milhões previstos agora no Orçamento da União de 2018 para duplicação da BR-280. Resta saber se o montante, ainda insuficiente, vai ficar só no papel ou se vai mesmo ser transformado em obras. O Ministério dos Transportes prevê que a diferença será aplicada no trecho de 11 quilômetros em Araquari. - Chefe de gabinete Emanuela Wolff (PMDB) diz que a transmissão real e com som das licitações abertas pela Prefeitura servirá de modelo para todo o Estado. - O Tribunal de Justiça de Santa Catarina decidiu pedir o afastamento do desembargador Eduardo Gallo por 140 dias. O afastamento é inédito na história do tribunal.   Além do suposto pedido de propina que teria sodo feito por Gallo e denunciado pelo advogado Felisberto Córdova em plena sessão de julgamento, serão analisadas as denúncias de influência na aquisição de uma casa comercial em Florianópolis, o vídeo em que ele aparece nu para mostrar supostas agressões da ex-mulher e uma assessoria jurídica prestada a um servidor público. - Depois dos 140 dias, se o TJ entender que há provas, Gallo pode ganhar como prêmio a aposentadoria compulsória do cargo de desembargador.